Lasanha de atum e rúcula


Se há coisa que detesto e não suporto é carne picada. Então quando vem escondida noutros pratos, tipo empadão ou lasanha, fico para lá de estragada. Não sei de onde veio aquela carne, quem a picou, em que consiste exactamente. Até posso estar a engolir cartilagem que não vou adivinhar. Assim, sempre que faço pratos que tipicamente seriam confeccionados com carne picada, troco-a por outro ingrediente. Desta vez, optei por atum e rúcula, inspirada nesta receita. Como não tinha a lasanha fresca para dobrar em canneloni, optei por usar as placas tradicionais. Adaptei aqui e ali e o resultado é o que vêem acima.

Fiz um refogado em azeite com uma cebola roxa, dois dentes de alho e duas malaguetas picadas. Juntei duas latas de atum bem escorridas, deixei cozinhar e adicionei cerca de meio frasco de polpa de tomate e um molho de rúcula. Fiz bechámel seguindo esta receita que é perfeita e nem vale a pena inventar mais. Passei as placas de lasanha por água a ferver para as amolecer. Despejei no fundo do pirex molho béchamel suficiente para que a lasanha não pegasse e fui colocando as placas de lasanha intercaladas com o recheio de atum e rúcula, bem como um pouco do molho. No final despejei o bechámel restante e terminei com a mozzarella. Levei a cozinhar a 180º no forno até estar tostado.

Jantei com a minha madrinha e não poderia ter sabido melhor! :)

Comments

  1. Adoro rúcula e adoro atum. Está para mim!

    (Opa, de vez em quando lembro-me da receita do picante e cheguei a ligar ao meu pai a propósito, mas n tava em casa e entretanto tenho-me esquecido! Mas mais dia menos dia, hei-de partilhar, prometo!;D)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sim, esta ficou deliciosa e desapareceu num instante! Experimenta! Já agora, recebeste o meu email há dias?
      Obrigada por teres ligado ao teu pai de propósito. Eu ainda há poucos dias andei a pesquisar receitas de piripiri e encontrei uma em alternativa ao azeite que sou capaz de experimentar. Achas que é parecida com a do teu pai?
      "O processo é simples. Coloque num tacho as malaguetas partidas aos bocados (é importante soltar as pequenas sementes picantes) e deite um copo de whisky. Deixe as malaguetas ferver durante alguns minutos. O objectivo é conseguir uma mistura mais consistente e, simultaneamente, fazer com que o álcool evapore (caso contrário a carne ficaria a saber a álcool). Por fim, deite o líquido num pequeno frasco. Junto um dente de alho inteiro e uma folha de louro para dar sabor. Depende muito do tipo de malaguetas que venha a utilizar (as minhas são vulcão), mas ao fim de alguns dias o molho está ultra picante."

      Delete
  2. Não, o do meu pai não vai ao lume, acho...fica só a marinar e é aguardente que ele usa! Quanto mais tempo tem mais apurado fica e toda a gente aprecia bastante (menos eu que não gosto:P)! Mas este fds vou lá e trago a receita, mi aguárdji;)

    (Já respondi ao mail, ainda bem que me avisaste!)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ah fixe! Então fico à espera para experimentar essa receita. Queria fazer uns cabazes com piripiri e outras ofertas e assim deixava uns meses antes do Natal a marinar para quando comerem ficarem com a boca a arder! muahahaha!!!

      Delete
  3. Podes resolver isso da carne picada facilmente ;)
    Vais ao talho, escolhes a carne e pedes para picar no momento ou então compras a carne e picas tu em casa.

    ReplyDelete
    Replies
    1. É o que faço quando como carne picada, mas a própria consistência da coisa nao me agrada... Dai que coma poucas vezes, so se vir a carne a ser picada a minha frente ou então procuro alternativas.

      Delete
  4. Adoro atum... e lasanha, humm... ouro sobre azul!!!
    Por aqui ainda nao me dei ao trabalho de a fazer e opto por comprar ja pronta! Descobri uma marca por aqui que tem uma que é divina!!!
    Vou experimentar esta!!!
    Beijinho,
    Mena.

    ReplyDelete
    Replies
    1. se experimentares depois diz-me se continuas a preferir a já feita! ;) *

      Delete

Post a Comment

Popular Posts