E porque hoje ninguém se cala com as palavras da Isabel Jonet...

Nunca fui fã do Banco Alimentar. Muito pelo contrário. Conheci verdadeiras antas a trabalhar lá. Conheço as manipulações feitas pelas associações parceiras que jogam entre o dar e o receber para melhor controlar os seus utentes. Sei como muitos meninos e meninas "bem" aliam a missa de domingo no Campo Grande ao voluntariado no BA por uma questão de auto-promoção pessoal e elevada auto-estima (julgo que para compensar algo...).

Pessoalmente prefiro anular o BA como intermediário se quiser ajudar alguém e por opção nem sequer contribuo. Mas isso acontece porque sei (visto que a minha carreira passou sempre pelo trabalho de campo em ONGs) a quantas pessoas não necessitadas os bens alimentares vão parar e acaba por pagar o justo pelo pecador. Muitos, infelizmente, chegam às casas daqueles que não prescindem dos bens de segunda necessidade e acabam por não poupar o suficiente para os de primeira. Ou simplesmente não o pretendem fazer porque sabem que há uma instituição que lhes enche a despensa por eles. Alguns dos apontados pela Presidente do BA, ora lá está... Fico bastante satisfeita que esse fenómeno não lhe seja estranho.

A título de exemplo, na última associação onde trabalhei, foi aprovado apoio alimentar a um residente do bairro social onde fiz trabalho de campo, o qual recebia uma pensão e mantinha um PPR que era cerca de metade desse valor. Não pagava casa nem contas (ai estas puxadas...), tinha transporte gratuito para o hospital e sobrava sempre dinheiro para a cerveja e o tabaco. Logicamente, não trabalhava. O discurso do coitadinho estava sempre na ponta da língua. Vida fácil, na minha opinião.

No entanto, não descontextualizem as palavras da Isabel Jonet e percebam o alcance do que quer dizer sem cair em vitimizações desnecessárias. Ela falou várias vezes em "partes da população", quem está a generalizar são os responsáveis por montar este desnecessário boicote. E acaba-se assim com os apoios a uma instituição porque as pessoas não sabem dar um passo atrás e analisar o fenómeno? Na minha opinião, e como podem ver acima, os problemas do BA são outros. 

Parece-me que estão a ver a árvore e não a floresta. Ou então não gostam de ouvir verdades.

O vídeo da polémica:



E podem ver aqui a notícia: http://noticias.sapo.pt/nacional/artigo/peticao-publica-pede-demissao-de_5166.html





Comments

  1. Concordo a 100%! fico feliz de não ser a única a ver isso.

    ReplyDelete
    Replies
    1. e não somos as únicas: http://blasfemias.net/2012/11/08/tragam-lhes-os-sais/

      Delete
  2. Concordo plenamente contigo, é bom saber que não penso assim sozinha e que não sou a única que tenta destacar-se das "massas" e da "carneirada" que nem se dá ao trabalho de analisar o que foi dito realmente pela Sra. Beijinhos*

    ReplyDelete
    Replies
    1. Quem não sabe pensar, copia o que os outros dizem. Acredito que muitos nem tenham visto o vídeo na íntegra. É por isso que há tanto carneiro tresmalhado por aí... ;)

      Delete
  3. Só agora é que estou a apanhar este assunto. Ouvi o discurso e, sinceramente, não percebi o salto para uma petição pública a pedir a demissão da senhora. Não tínhamos já chegado à conclusão que temos de reajustar os nossos hábitos? Não percebo.
    Quanto ao BA, eu tenho consciência que nem sempre chega às pessoas que mais precisam, mas gosto de pensar que, ainda assim, alguma coisa chega a quem precisa, e isso chega-me. Até porque, pelo que vou ouvindo, ainda está para nascer uma associação de ajuda sem vícios.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Acho que te fica muito bem ajudar. Eu também já o fiz e não me custa nada comprar dois pacotes de esparguete em vez de um, mas idealmente prefiro dar directamente a quem sei que precisa do que usar o BA como intermediário. Já distribuí estes bens que tanto custam a algumas famílias oferecer por demasiadas pessoas que não os merecem, mas também já muita gente que necessita os recebeu em casa. Queres um exemplo? A nossa S. queria pedir banco alimentar quando disse que os produtos de supermercado estavam a ficar demasiado caros para o que ela estava disposta a gastar, eu é que lhe disse que se livrasse de o fazer... será que o fez ou não? É por causa de casos como este - que são muitos mais do que se pensa e que conheço pessoalmente e de uma mentalidade de oportunismo demasiado instalada - que prefiro anular o intermediário. Sim, paga o justo pelo pecador. E sim, todas as associações têm vícios, uns piores do que outros. Por isso é que detesto caridade e não me preenche a premissa "ao menos que chegue a alguns que realmente necessitam", especialmente quando já estive demasiado tempo nos bastidores. Mas é a minha posição, não estou aqui para mudar mentalidades nem os actos de ninguém. Cada um age de acordo com a sua consciência e isso é como dizes, "para mim chega-me".
      Em relação ao discurso da Isabel Jonet, é tudo um grande disparate o que se anda a dizer dela. Não sendo a fã número 1 da instituição, reconheço o seu valor, sugiro mudanças mas não é por causa do discurso de ontem (ao qual não mudaria uma vírgula) que acho que ela deva ser demitida ou o BA sacrificado.

      Delete
  4. Velhos do Restelo existirão sempre; gente que, do alto das suas fraquezas e inseguranças (até motivada por elas) se insurge contra quem ousa assumir riscos e falar verdades - e são tão pequeninos que ameaçam boicotar o BA motivados por uma birra. Para quem ainda não percebeu, o burgo acabou! Daqui por diante teremos que viver do que o País produz (o que, para nós portugueses, é novidade), por isso, embora arregaçar as mangas e procurar soluções - problemas já temos de sobra. :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. O ideal seria se sempre tivéssemos vivido do que o país produz... se assim fosse, não estaríamos aqui de certeza. A Dra Isabel Jonet falou e bem. Oxalá mais se chegassem à frente e dissessem igual ou melhor. De soluções e não de birras é o que este país precisa.

      Delete
  5. há sempre problemas e vicios, mas eles tem feito um excelente trabalho!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Discordo. Eu é excelente, ou tem problemas e vícios. E da minha experiência de quase uma década, a excelência não é de todo uma característica que lhe imprima.

      Delete
  6. Opa, ainda nem há meia hora, ao espreitar o CM, comentei com o B. que percebia perfeitamente o que a mulher tinha querido dizer e que não percebia a alarmidade com que foi recebido pelas pessoas!! Mas sabes que isto foi o que foi porque o tuga emprenha muito pelos ouvidos, isso é que é!!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Acho que essa nunca tinha ouvido eu... Ahaha! As pessoas são parvas e hipócritas. Pior do que isso, querem viver em negação. Bom para elas, não vale é a pena castigarem uma instituição por causa das suas frustrações pessoais.

      Delete

Post a Comment

Popular Posts