Natal #3



Ora cá estamos nós novamente a tratar da minha wishlist para o Natal. Já fizeste a tua? Então despacha-te, já sabes como os centros comerciais ficam nesta altura do ano, para não falar do humor das pessoas. Estamos no início de Novembro e tudo indica que o Natal está mesmo aí à porta: abundam as notícias de como a crise afectou o pequeno comércio e o consumo familiar e a Amadora está engalanada com decorações de Natal há mais de um mês.

Já sabes como eu sou com o Natal. Desce em mim a criança que compete com o teu Grinch. Vibro com as decorações que tu desprezas. Peço todos os anos para ir ver as luzes à Baixa e chamas-me de saloia. Este ano tenho uma boa desculpa para te convencer, vamos levar o bebé. Nunca consigo decorar a casa porque tu tens medo da árvore de Natal graças ao teu amigo que morreu electrocutado nas luzes. A tua reacção é, no mínimo, compreensível.

Numa casa com gatos, tendo em conta a primeira experiência que tivemos, não te consigo convencer a comprar um pinheiro e a enfeitá-lo, senão voltamos a vê-la abanar e de seguida as bolas todas partidas no chão. Planeio os presentes e embrulho-os sozinha muito antes da época, mas não faz mal: tenho espírito natalício que chegue pelos dois e não gosto que mexam no meu papel de embrulho! Nunca deixei de dar um presente a ninguém independentemente da minha disponibilidade financeira porque valorizo a procura da prenda ideal. Nem sempre a mais cara é a mais indicada, muito pelo contrário. É verdade que os natais estão cada vez mais pobrezinhos, mas eu vivo é para as semanas anteriores, em que cresce em mim a ansiedade da festa. Deve ser o efeito de tantas luzes lá fora, se calhar deveria era ir fazer um TAC... 

Devido à genética e ainda mais à tua educação, fazes por não valorizar este momento familiar, mas eu sei que nos últimos anos em que passaste o Natal connosco conseguiste assimilar parte da nossa alegria, embora não o admitas. Eu percebo: se as expectativas forem baixas, não nos desiludimos facilmente. Eu não concordo, daí que passe a vida a bater com as fuças no chão, mas vale sempre a pena.

Para mim o Natal é dia 24, no dia 25 só me consigo lembrar que faltam 365 dias para mais prendas. Além disso, estou invariavelmente enjoada da porcaria toda que comi no dia anterior. Na véspera de Natal preparamos a mesa e os doces. Lembramo-nos dos que já não estão connosco, mas mantemo-nos ocupados. Não há Natal em que não me recorde que sou filha de pais divorciados, mas tento sempre que o lado negativo não se sobreponha. Apesar de tudo, sempre gostei do Natal e sempre hei-de gostar. Alguns dos piores momentos da minha vida aconteceram durante esta altura e, mesmo assim, não perco muito tempo a reflectir sobre eles. Todos os anos cresce em mim a esperança da renovação. Sim, devia mesmo ir fazer um TAC...

Pronto, já chega de disparates, vamos mas é às prendas. Aponta aí:


Comments

  1. ADOREI! Tenho de fazer um destes. :)

    ReplyDelete
  2. ahahah muito bom! Não há como ele recusar a comprar-te essas prendinhas.
    O meu homem já me perguntou o que é que queria para o Natal e eu fiquei sem palavras, porque ainda não tinha pensado verdadeiramente nisso. Ora bolas, perdi uma grande oportunidade! Shame on me!! :D

    xoxo

    ReplyDelete
  3. Só eu é que não tenho a sorte que me digam o que comprar... lol Facilitava!

    ReplyDelete
  4. @ Pi, MJ e nemsabesnoquetemeteste: para todos vós, só uma sugestão, façam a vossa wishlist senão têm surpresas desgradáveis no sapatinho! e perguntem aos outros o que realmente querem ou precisam para acertarem no alvo (a não ser que sejam prós em surpresas, coisa que o meu pai natal não é...).
    um conselho para o seu natal da limited edition!

    ReplyDelete

Post a Comment

Popular Posts