Boys will be boys.

Sempre tive amigos rapazes. Daqueles com quem podia falar sobre todas as merdas a que as meninas torcem o nariz. Entre os homens, se a coisa corre mal, basta mandá-los para um certo sítio que a coisa passa em cinco minutos. Não há cá amuos "porque ela sabia que eu ia usar aquela écharpe e trouxe uma igual à mesma". Quem me dera poder pertencer a um grupo de regras simples e úteis em que basta cumpri-las para que o resultado seja o esperado. Não, psicanalistas, escusam de interpretar nas minhas palavras mais um caso de inveja do pénis. 
O meu género obriga-me a aturar muitas TPMs que duram o mês inteiro. Eu inspiro porque, no fundo, preciso de alguém que vá comigo às compras. É que nesse aspecto os homens são do mais imprestável possível. Excepto os meus amiguinhos. Aqueles com quem posso falar, passar o dia inteiro sem ter receio que me saltem para a cueca e com quem posso partilhar piadas capazes de fazer corar o sexo feminino. Mas também com quem posso ser honesta, partilhar tudo e fazer das tripas coração. Das amigas que tive com quem fiz isso, poucas escaparam ao teste. É que a minha paciência é limitada e à terceira facada, a culpa começa a ser minha porque não vi o golpe chegar. E depois, que remédio, vou às compras sozinha.
Não entendo, porém, como é que algumas pessoas vêem maldade em amizades entre homens e mulheres. "Ah, tu não lhe dês muita confiança, que ele fica confuso e ainda se apaixona platonicamente". Apaixona nada. O meu sex appeal actua num raio muito restrito e os meus amigos-homens não me vêem como uma mulher. Tal como eu não vejo os namorados das minhas amigas como homens. Duas aulas de Antropologia do Género e vocês perdiam todas as noções pré-aquiridas sobre o feminino e o masculino, meus amigos. Ou então, em alternativa, que tal deixarem de ser tão maldosos e preconceituosos?...
Não posso obrigar toda a gente a pensar como eu, nem quero, senão tornava-me num carneiro. Gostava apenas que considerassem a validade de uma alternativa. Que homens e mulheres podem ser amigos, no strings attached. Porque senão, que seria de mim sem os meus amiguinhos?

Comments

  1. Compreendo bem o que dizes e concordo. Mas só porque tenho um amigo assim tal como descreveste os teus amiguinhos. Foi a partir dessa altura que larguei o preconceito e já lá vão 10 anos de pura amizade.

    xo

    ReplyDelete
    Replies
    1. Acho que independentemente de se ter um amigo assim ou nao, nao se devem julgar as amizades dos outros so porque nao correspondem ao que achamos que é correcto. Os tais preconceituos de que falavas. Se bem que conheço pessoas que mesmo com amigos destes, julgam os amiguinhos dos outros. Devem pensar que a partir do casamento algumas coisas "nao ficam bem". Oh que pena, e eu tão preocupada... :p

      Delete
  2. Tenho apenas um amigo assim também! E chateia-me profundamente, que agora que ele tenha casado, às vezes seja a mulher a mandar-me sms para alguma coisa...afinal, eu sou amiga é dele primeiro! Humpf! Mas deixa-me dizer-te, que para aí na altura do secundário, levei uma bronca de uma amiga, porque dois grande amigos nossos lhe disseram que gostavam de mim...e então a bronca foi porque eu era simpática demais...sem comentários...eu acho é que eles tinha as hormonas aos pulos:P

    ReplyDelete
    Replies
    1. então se eras amiga deles deverias ser antipática ou quê? não entendo esta gente com mente tacanha...

      Delete

Post a Comment

Popular Posts