Depois de ler dois posts sobre livros, de duas conversas interessantes sobre o que ando a ler e de ter recebido outros tantos pelo correio...


Estava a pensar nos livros que leio e nos que gostaria de ler. De como são caros os livros em Portugal e da tentação que é encher o carrinho da Amazon até às 25 libras para não pagar portes (em alternativa, têm o Book Depository com portes sempre grátis ou a FNAC para quem é aderente). De como me dá prazer um romance bem traduzido para português, porque passo o dia às voltas com artigos e livros científicos em inglês, a minha língua de trabalho. De como em Cambridge, quando encontrei O Crime do Padre Amaro de Eça de Queirós [todos aqueles que se referirem à minha frente a este escritor como "o Eça" entram automaticamente na minha hate list e poderão vir a ser vítimas de um crime violento] perdido na biblioteca do meu colégio, o devorei à noite juntamente com umas bolachas dos Weight Watchers de limão e açúcar (que eram péssimas, já agora; o melhor que por lá havia em termos de doces eram mesmo os chocolate cornflake clusters do Sainsbury's). De como é ingrato fazer listas e listas de livros do que quero e preciso obrigatoriamente de ler e chego sempre à mesma conclusão que Almada Negreiros:

"Entrei numa livraria. Pus-me a contar os livros que há para ler e os anos que terei de vida. Não chegam, não duro nem para metade da livraria. Deve certamente haver outras maneiras de se salvar uma pessoa, senão estou perdido."

Como se não bastasse não ter o tempo, também não tenho o dinheiro. Mas pronto, não desisto já. Sei que não os conseguirei catalogar a todos ou mesmo lê-los. Deveria tomar isto como máxima para a tese de doutoramento quando ando a engonhar e leio em vez de escrever...

E como adoro falar dos meus livros, de os recomendar e que me recomendem os que mais gostaram, ficam aqui duas sugestões.

Goodreads: um site onde podem inscrever-se, fazer download de ebooks, partilhar com os outros o desenvolvimento da vossa leitura, comentar e avaliar livros, partilhar experiências, encontrar citações famosas... Tem também uma aplicação para o telemóvel. É um mundo de possibilidades, viciante e uma espécie de book club à escala mundial.

Project Gutenberg: dedicado aos clássicos, podem encontrar aí para download ou para ler online mais de 40.000 obras. Porque a literatura e o prazer da leitura são bens comuns e não deveriam ser mais valias das editoras...

E vocês, que me sugerem?


Comments

  1. Eu não sou tão devorador de livros como tu, mas quero mudar isso,quero sem dúvida pegar-me mais aos livros, um dia consigo :) e o que podias fazer era ler dois ao mesmo tempo antes de dormir como o professor marcelo rebelo de sousa :P

    R: Tens de ver o que ele me deu xD afinal não era bem o que pensavas :P

    ReplyDelete
    Replies
    1. pois não, ele enganou-te bem! mas também com aquela pista, como é que chegavas lá?
      eu leio um livro em cada mão lol! mentira, mentira...

      Delete
  2. Sugerir nada, porque não tenho jeito para tal! Mas é tão bom ler. E compreendo-te muito bem quando dizes, sabe bem ler na nossa língua materna. Tem outro encanto! :)

    ReplyDelete
  3. O que sugiro para mim própria é demasiado deprimente: aguardar pela reforma... Mas pode ser que este ano me organize para ler! Há tempos postei sobre isso no blog: http://apanificadoraribeiro.blogspot.pt/2011/06/delicioso-desafio-literario.html.
    Beijinhos, bom domingo e Feliz Natal!!!
    Madalena

    ReplyDelete
    Replies
    1. Só tive oportunidade de ler e responder agora, querida Madalena! Ainda me falta ler tanto... Acreditas que desisti dos livros de Saramago quando comecei e terminei o memorial do convento poucas páginas depois e nunca mais peguei em nenhum livro dele. Nao posso esperar pela reforma, se é que algum dia a terei! Lol!
      Bjs e feliz Natal!

      Delete

Post a Comment

Popular Posts