Muito rápido, que a minha paciência é cada vez mais limitada.


Ter um animal não é o mesmo que ter uma criança. Quem os tem, sabe que há diferenças. Os outros é que parecem confundidos.

No entanto, quem perde um animal, sente como se lhe tivessem tirado um filho. Há coisas difíceis de explicar por palavras...

Quem tem um animal põe as suas prioridades em primeiro lugar, mas não se torna um ser acéfalo e desprovido de capacidades mentais.

Quem tem um animal sabe que, ao fazer contas, tem de reservar uma parte para alimentação, saúde e conforto do mesmo. Quem tem filhos sem nunca ter tido um animal, vai mal preparado.

Quem tem um animal percebe nos pequenos ruídos, mudanças de humor e comportamento, sinais de alerta de quem não consegue verbalizar a dor. Novamente, vão mal preparados. Mas quem sou eu para fazer comparações?

Quem tem gatos, sabe que eles não são todos egoístas, mesquinhos e traiçoeiros. Percebe que cada gato tem uma personalidade diferente e que a maneira como é tratado vai ser determinante no modo como o animal retribuirá. Eu tenho dois gatões em casa e não poderiam ser mais distintos.

Quem tem um cão, sabe que eles precisam de espaço. Precisam de esticar as pernas, de correr de língua de fora. Ocupam mais espaço e cheiram pior do que os gatos (pelo menos os meus, que nunca tive cães em apartamentos). 

Não é um crime ter um animal fechado em casa. Crime é não lhe dar a atenção que merece, não retribuir o amor incondicional que apenas os animais sentem por nós. Nem os pais nos amam sem restrições. 

Ter um animal nem sempre é uma escolha. Por vezes, eles escolhem-nos a nós.

Não confio nem convido duas vezes para minha casa pessoas que me dizem ao entrar "não gosto de animais", "quem teve a ideia de arranjar um gato?" ou "eu sou mais de cães do que de gatos" (ou vice versa). Acho indelicado, para não dizer pior. Respeito as opiniões de cada um, mas na minha casa mando eu. Quem vier, que venha por bem e vem sempre avisado do que vai encontrar. A porta é já ali ao lado. Na mesma medida, não entro em vossa casa para vos dizer como devem gerir a vossa vida nem vos mando trancar as crianças no quarto quando são malcriadas e barulhentas.

Não entro em exageros de vegetarianismos, mas tenho atenção ao que como porque por detrás de uma indústria alimentar cada vez mais massificada, há um sem número de indivíduos extremamente cruéis e desprovidos do mínimo de bom senso na maneira de tratar os animais dos quais nos alimentamos.

Respeito o espaço dos meu gatos, as suas manias e exigências. Eles também sabem que devem respeitar as minhas. Corro com os meus cães, abraço-os, dou-lhes beijos, recebo beijos, não os discrimino em função de leis absurdas. Um dia destes mato à pancada quem se entretém a envenar os meus bichos porque não os gosta de ouvir ladrar. Sim, porque no campo não se reclama nem se esteriliza os animais. Afogam-se ninhadas inteiras ou atiram-se os recém-nascidos contra a parede. Hitler, desta não te lembraste tu. Dá-se veneno juntamente com nacos de carne, que os cães barulhentos engolem sofregamente e depois agonizam dias sem fim, até que o antídoto deixa de fazer efeito e temos de ser nós a decidir quando terminar o sofrimento do animal.

Um bom dia para mim acaba com um duche para tirar o cheiro a cão, os pêlos que se entranharam da roupa na pele, sabendo que amanhã eles me esperam para um novo passeio como se fosse sempre o primeiro.

Seria capaz de perder a cabeça se visse um animal a ser maltratado. Sou incapaz de voltar a falar com pessoas que me disseram "gastas demasiado tempo e dinheiro com os teus gatos, devias era deixá-los em casa do teu pai".

E volto para os meus animais, cujo coração é maior do que o das pessoas e onde eu caibo sempre lá dentro. Aconchegada.


Comments

  1. Eu gosto muito de cães. Nunca tive nenhum, porque não tenho condições para isso. Os gatos não me agradam tanto, sou mais pelos cães. Mas acima de tudo sou por se tratar bem TODOS os animais :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. É muito importante que as pessoas garantam se podem mesmo ter cães ou gatos. Acho essa decisão muito louvável, nao sou das que impinge bichos a toda a gente. Eu tambem nao gostava de gatos... Até ter os meus! ;)

      Delete
    2. Eu tenho uma amiga que sempre teve muitos cães, dizia que não achava piada a gatos. Um dia o namorado queria um gato, arranjei-lhe uma gata...teve lá 3 semanas até ela a levar para casa dela! Hoje é a loucura com a Pixie (minha afilhada linda) e é uma filha que ela ali tem! Vem cá a casa e quer é dar festas na minha Joana! Hoje diz-me que adora gatos! Mission accomplished :P

      Delete
    3. Eu também era desconfiada com gatos porque a minha mãe os odeia, mas arranjei um quando fui viver sozinha porque nao tinha possibilidade de ter um cão e rendi-me. Eles são mt mais do que as pessoas acham deles, é natural acabar a maioria agradavelmente surpreendida! ;)

      Delete
  2. sabes que mais? somos muuuuuuuuuuuuuito parecidas no que toca a animais.

    subscrevo, assino, "petizo", sei lá o quê, este texto!

    ReplyDelete
  3. Nem mais. Mas nem vale a pena tentar explicar o que quer que seja a pessoas com mentalidades desse tipo. Elas não conseguem compreender o facto de um animal pertencer a uma família e ser amado como se fosse um filho. Tristes deles que nunca sentiram, nem nunca vão sentir, esta forma de amor puro.

    Big Kisses

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sm, tambem tenho pena dessas pessoas. Pena de nunca terem sentido isto. Mas pronto, sigamos em frente... Bjo

      Delete
  4. Olha, dava-te três bjinhos seguido agora!! Três!!

    ReplyDelete
  5. Adorei!!! Não teria dito melhor! Finalmente alguém que pensa como eu :) Obrigada!

    ReplyDelete
  6. Estas palavras poderiam bem ser minhas, pois os sentimentos, esses são com certeza.
    Tenho animais desde que me lembro como gente. Cresci com eles, por eles ... Não suporto que me digam que um animal é uma coisa e não tem sentimentos, quando a pessoa que pensa assim é que decerto não os tem.
    Os meus 2 cães e 2 gatos são os amores da minha vida, são a minha família, são os meus filhos.
    Sim, também já me criticaram por eu viver demasiado para eles, e dirigir-lhes demasiado amor, como se isso fosse sequer possível, ao que eu respondi: "Vocês escolheram ter filhos que um dia podem vir a ignorar-vos, eu escolhi ter amigos para a vida que nunca me vão virar as costas."
    O amor não se escolhe, apenas se sente. Não é para 2 pernas ou 4 patas, é apenas amor.

    http://onewayticket.blogs.sapo.pt/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Exacto, é apenas e nada mais do que amor. Tudo o resto é conversa. Obrigada pela visita*

      Delete
  7. Concordo totalmente excepto na parte do "exageros de vegetarianismos". Hmm, posso perguntar porquê?
    Já perdi conta a quantidade de vezes que o meu gato converteu pessoas que diziam aos sete ventos: odeio gatos pá, que traiçoeiros. Não sei o que seria de mim sem as minhas bolinhas de pêlo (:

    ReplyDelete
    Replies
    1. Claro que podes, Beatriz! Simplesmente gosto muito de comer carne e peixe. Mas por exemplo, sempre que posso, opto por comprar carne biológica, frangos do campo, ovos de galinhas criadas ao ar livre, não como foie gras... Há muitas pessoas que consideram comer carne um crime e é desse tipo de exagero que fujo. Acho que não sou uma "carnívora" convicta, mas também nunca seria uma vegetariana de corpo e alma. Em compensação, adoro comida vegetariana (encontras aqui no blogue várias receitas).
      Em relação aos gatos, concordo completamente, os meus também têm esse poder nas pessoas! ;)
      Um beijinho e obrigada pela visita*

      Delete
  8. Do que eu curto é de pessoas como tu.

    ReplyDelete
  9. Concordo plenamente e tenho a mesma opinião. Há muita gente que não está preparada para ter animais e muito menos filhos. Decidir ter um animal de estimação requer fazer sacrifícios e estar presente, tal como quando se decide ter um filho. Um animal é um ser vivo, sofre e é feliz como nós portanto há que lhes dar tudo o que necessitam e se não podemos não temos. Há que pensar antes e não abandonar depois como muitos fazem porque o cãozinho cresceu e começaram os problemas inclusive nas férias, altura em que muitos são abandonados. Essas pessoas que põem veneno ou armadilhas deviam ser penalizadas com a prisão. Já me mataram dois cães e um chegou a casa com um furo enorme na pata. Pior ainda é que muitas das pessoas que maltrata os animais é católica praticante. Como? Da mesma maneira que maltratam, roubam, assassinam os seus semelhantes.

    ReplyDelete
    Replies
    1. eu não tenho problemas nenhuns com os católicos, só não percebo porque é que alguns deles se acham tão moralmente superiores e depois nas suas vidas não são capazes sequer de cumprir com os básicos da catolicismo. eu fui educada por freiras e actualmente sou completamente ateia, precisamente porque acho que não preciso de uma religião por trás de mim para me dizer que tipo de pessoa devo ser. acho que a maior parte dos princípios os retive e tento manter no dia a dia. um deles é tratar bem o meu semelhante, seja ele humano ou animal.

      Delete
  10. Faço das tuas minhas palavras e com estamos em sintonia vou seguir-te sempre que poder já que o tempo é o meu maior problema, voa. Beijinhos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada, és muito bem vinda! Vou espreitar o teu cantinho tambem. Bjo

      Delete

Post a Comment

Popular Posts