Um bom risotto.

Não sou nenhuma expert do risotto, mas é daqueles pratos que faço com alguma frequência cá em casa e que costuma sair bem. O risotto tem um "je ne sais quoi" de sofisticação com empenho. Os ingredientes querem-se de qualidade, mas se nos desleixarmos na confecção, por muito bons que sejam, não há maneira de salvar o resultado final. O acto de mexer constantemente a panela para que o arroz cozinhe sem espapaçar ou colar no fundo, vertendo o caldo lentamente, é um acto de carinho, de quem se empenha no resultado final. Mas o risotto não perdoa e um passo em falso condena a refeição. Assim, reuni uma série de passos que funcionam comigo quando confecciono um risotto, seja de que variedade for. Seguindo-os cuidadosamente, a margem de erro diminui e com a prática aproximamo-nos de um risotto perfeito.

1. Arroz arbório, sempre! Já há muitas variedades no mercado, mas eu costumo usar o da marca "Riseria Basso Veronese" que encontro em lojas de produtos gourmet e que logicamente não me foi oferecido para fazer este risotto, caso contrário lá em cima apareceria "Publicidade".

2. Vinho branco de boa qualidade, que se junta após refogar o arroz e o ingrediente principal (neste caso foi salmão que marinei em sumo de limão).

3. Caldo! Claro que os feitos em casa são bem melhores e mais saudáveis, mas quando não tenho, dissolvo um caldo Knorr (ou de outra marca qualquer) em água a ferver.

4. Mexer sempre! Quando se deita o vinho branco ou o caldo devemos mexer sempre o arroz. O segredo está em ir juntando o caldo aos poucos, mexendo, deixando o arroz absorver, mas não totalmente, ir colocando um pouco mais...

5. Provar! Vão experimentando o risotto à medida que o cozinham para verificarem se está a cozer bem para que consigam dosear a quantidade exacta de caldo a acrescentar.

6. Queijo! O ideal? Parmesão de qualidade acabado de ralar. Nunca, mas nunca mesmo, aquele parmesão que já vem em pacotes e que fica óptimo por cima da carne à bolonhesa. E que tal queijo da ilha? Tão bom!

7. Quantidades? Bom, eu fiz a olho, mas posso tentar aproximar-me: dois filetes de salmão, uma chávena de arroz arbório, uma chávena de vinho branco, 750ml de caldo de peixe, 100g de parmesão. Estas quantidades são indicativas e dependem do gosto de cada um, pelo que sugiro que voltem ao ponto 5 e encontrem o segredo para o vosso próprio risotto.



Comments

  1. Ando para experimentar há um par de tempo, o problema é que nunca encontrei uma boa receita e também tenho medo de falhar, visto a coisa ser um pouco delicada :S Obrigada pelas dicas :D
    Beijinhos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Vai tentando, acho que não fica perfeito das primeiras vezes. Beijinhos e boa sorte com o carro :/

      Delete
  2. Replies
    1. Isso vindo de ti é um grande elogio!!!

      Delete
  3. Adoro! Aprendi a fazer no Brasil nas aulas de culinária e agora é um vício, volta e meia tenho sempre de fazer aqui em casa. Normalmente sai sempre bem, só houve uma vez em que fiz com brie e camarão e achei que ficou um bocado enjoativo e muito "branco". Mas nada como irmos sempre aperfeiçoando!

    ReplyDelete
    Replies
    1. O problema deve ter sido o brie pq é mt amanteigado, com outros queijos mais duros!

      Delete
    2. (Enganei-me) Com queijos mais duros fica sempre bem e as variações são ilimitadas. Um vicio, como dizias! ;)

      Delete

Post a Comment

Popular Posts