Meatless Monday ~ Cebolas assadas.


Eu sempre adorei cebola. Cebola e alho. De certeza que já devo tê-lo dito por aqui, por isso desculpem se estiver maçar-vos.

Uma vez, teria eu uns 16 anos, recusei-me a comer salada com cebola crua, algo que eu nunca fazia porque ainda hoje adoro. Crua, cozida, assada, frita, gosto de cebola de todas as formas e feitios. A minha mãe olhou para mim e disse "Tu vais namorar!!". Eu fiquei toda encavacada, corada e de todas as cores do arco-íris enquanto negava veementemente. Portanto, fui apanhadíssima. E sim, claro que ia namorar. Tinha acabado de conhecer aquele que achei ser o homem da minha vida, calças descaídas da Resina, cabelo louro comprido e que me escrevia longas cartas filosóficas (não tão longas como as minhas, mas enfim).

Apesar de andarmos na mesma escola e no mesmo ano, estávamos em turmas diferentes. Eu lembro-me exactamente do primeiro dia em que o vi. Fiquei fascinada. Meses depois, num chat do mIRC, começámos a falar. Ele tinha um nick que fazia lembrar o nome de uma marca conhecida de comida de gato, e eu um trocadilho com uma personagem do meu livro favorito. Falámos durante meses pela internet, na escola evitávamo-nos. Depois começaram as férias e nós escrevíamos um ao outro. Escrevíamos sobre livros, música, e todos os interesses que tínhamos em comum. Eu estava apaixonadíssima e nunca pensei que fizesse muito sentido que um rapaz me desse atenção a mim, cheia de complexos e que era apenas conhecida na escola pelas notas.

O verão acabou e ele convidou-me para ir ao cinema. Na escola continuávamos a não falar um com o outro, sem contar com o ocasional "olá, boa tarde". Mas as cartas continuavam longas e continuámos a escrever-nos quase diariamente mesmo depois de começarmos a namorar. Tínhamos tanto para dizer um ao outro e suponho que se as coisas não tivessem acabado tão mal como acabaram, ainda hoje nos escreveríamos. E seríamos bons amigos.

Durante um ano e quatro meses andei tão feliz, que irritava, como dizia um colega meu. O mundo era todo cor de rosa e eu era a namorada de alguém. Por vezes discutíamos. Depois começámos a discutir cada vez mais. Por causa das companhias, das drogas, das faltas de respeito. No início eu pedia desculpa por tudo e por nada, pelo que era culpa minha, pelo que ele inventava. Depois deixei de ter tanta paciência para ser enxovalhada e o encanto foi-se perdendo. Até que um dia se foi de todo e ficámos cada um a sofrer para seu lado, de orgulho magoado e a lamber as feridas.

Mas apesar de tudo o que se passou, ainda hoje o recordo com o meu primeiro amor, aquele rapaz que conheci com 15 e que depois de amanhã faz 30 anos. Como se eu me fosse esquecer do seu aniversário...

~ Ingredientes ~

receita adaptada do livro The Perfect Cookbook - Cozinha Vegetariana, p. 154

5 cebolas (3 brancas e 2 roxas)
azeite
Becel líquida
pimenta em grão moída na altura
queijo a ilha ralado qb


tempo de preparação: 60 minutos
dificuldade: *
vegetariana: sim
para crianças: sim
ingrediente principal: cebola

Descascar as cebolas e cortá-las em cruz do topo até à base sem separar os gomos. Colocá-las num pirex e salpicá-las com azeite. Introduzir um pouco de Becel líquida no centro e temperar com a flor de sala. Tapar com uma folha de alumínio (parte brilhante para baixo!)) e levar a forno pré-aquecido a 180º cerca de 45m. Retirar do forno e regar as cebolas com o molho. Reintroduzir o pirex, desta vez sem a folha de alumínio, por mais 15m. Retirar novamente e salpicar com o queijo da ilha ralado. Levar mais uma vez ao forno as cebolas até gratinar.




♥ Lovely Sponsor

Comments

  1. Busted!!! Pela mãe que descobriu que ias namorar. Muito bom ;)
    Eu também adoro cebola e principalmente alho, Mas isso nunca houve namorado que me fizesse deixar de comer alho ou cebola. Eu colocava logo os pontos nos i e dizia: "olha, só para avisar que hoje comi alho que dá para assustar uma manada de vampiros". Nada que uma boa pastilha de clorofila não resolvesse;)
    A minha primeira paixão também era loiro de cabelos compridos, um surfista que também gostava de fumar as suas brocas, de fazer surf à noite e de ficar na praia até de madrugada, muito ao estilo de Point Breack. Nem sempre fazia as coisas legalmente, mas foram bons tempos. Depois a vida tratou de nos afastar, mas de forma suave. Ainda hoje falamos de quando em vez, ele sossegou, é casado e tem um filhote. Eu sosseguei bem mais tarde que ele, casei bem mais tarde que ele, e vou ter um filho bem mais tarde que ele. Finalmente, não sei qual de nós dois era o mais rebelde.
    Mas tudo isto para dizer, que estas cebolas assadas...nham, nham, bem boas :)

    ReplyDelete
  2. Bom... confesso que não partilho o teu amor pelas cebolas! Agora, a descrição do teu primeiro amor gostei tanto, tanto de ler!
    Beijinhos e boa semana!

    ReplyDelete
  3. Oh! Gostei imenso da história! Fiquei logo a rir com o comentário por causa das cebolas na salada x) e depois acabei por ler tudo e está um post muito bonito :)
    Beijinhos

    ReplyDelete
  4. Que bela contadora de histórias! Alteraria a idade para 17. Retiraria o pormenor das drogas. O resto subscrevo na totalidade, pois tenho uma história muito idêntica. E, curioso, ele também está quase a fazer anos. Os amores da adolescência são sempre inesquecíveis.
    bj
    Patrícia

    ReplyDelete
  5. Adorei a história :)
    Aconteceu-me algo parecido :)
    15 anos, falar pelo mIRC com um rapaz, descobrirmos que andávamos na mesma escola, passarmos um pelo outro e não nos falarmos com vergonha. No Verão, passados vários meses de longas conversas pela net, apresentámo-nos pessoalmente e passámos as férias a trocar mensagens por tlm e mais tarde começámos a namorar. E eu, também carregadinha de complexos até às pontas dos cabelos, também não acreditava que alguém tão diferente do que eu era pudesse gostar de mim
    Muda a cor do cabelo, mudam o tipo de calças e muda o desfecho, pois ainda hoje estamos juntos :)


    Ah, e eu também não comia cebola quando ia namorar...mas agora que se lixe, estamos juntos para tudo, na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, no perfume e no cheiro a cebola :P

    Essas tuas têm óptimo aspecto!!
    **

    ReplyDelete
  6. Que linda história!
    Beijinhos
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ReplyDelete

Post a Comment

Popular Posts