Canja de frango do campo.



Uma das lições que podemos retirar do último século, graças a uma popularização da teoria psicanalítica (obrigada Woody Allen!), foi a culpar os pais. Se formos verdadeiramente honestos, as mães são com mais frequência as primeiras vítimas do nosso dedo estendido. De Alex Portnoy passando por Howard Wolowitz, há vários exemplos de como esta relação foi retratada com humor - e não, nem todos os casos são judaicos...

Eu também caio na armadilha de muitas vezes culpar os meus pais pelos meus erros, como se não tivesse sido dotada de livre arbítrio para os evitar. Não sei se conhecem aquela frase muito famosa nas estampas das t-shirts: "50% Dad. 50% Mum. 100% Perfect"? Adivinhem quem gostaria de ter uma dessas...

Racionalmente sei que os meus pais não são responsáveis pelas minhas escolhas. Em última instância, apenas poderão ter influenciado o resultado, mas conhecendo-me como me conheço, sei que é mais forte em mim a vontade de criar o meu próprio caminho do que de seguir os percursos alheios. Sei que em muitos aspectos os meus pais tentaram fazer o melhor que podiam, que sabiam e que os seus egos lhes permitiram. Acho que poderiam e deveriam ter sido melhores pais, poderiam ter estado mais presentes e cometido menos erros, mas também estou a avaliá-los à posteriori. E eu não sou juiz. Acima de tudo, o importante é perceber que não posso exigir deles perfeição, e que eles percebam que não podem exigir o mesmo de mim também. Em segundo lugar, preciso de perceber que, não tarda, também estarei na mesma posição do que eles e que, quanto mais cedo aceitar a sua imperfeição, mais depressa também me desculparei dos erros que, eventualmente, irei cometer. 

Apesar da minha tendência para o isolamento e da minha mania de que sou auto-suficiente e emocionalmente independente, sinto a falta daquela sensação de que há alguém que cuide de mim, seja quando estiver doente, seja pelo simples facto de estar lá. Alguém que me faça uma canja quando não aguento mais nada no estômago. Até que a situação normalize (sendo que "normal" é uma palavra de significado diferente nesta família...), terei de ser eu a arrastar-me para a cozinha, depois de uma noite a lutar com uma paragem de digestão e a cozinhar a minha própria sopa. Ao menos aqui é difícil de errar. 


~ Ingredientes ~

1/2 frango do campo limpo de toda a gordura e cortado em pedaços (e os respectivos "miúdos")
1 cenoura cortada em rodelas 
1 chávena de arroz carolino Bom Sucesso
água a ferver que cubra todos os ingredientes (adicionar mais se necessário)
uma pitada de sal marinho Necton
folhas de hortelão-pimenta frescas

Numa panela grande juntar todos os ingredientes. Em lume brando, cozer a sopa, adicionando mais caldo se necessário. Servir polvilhado com hortelã fresca.

tempo de preparação: 60m
dificuldade: *
vegetariana: não
para crianças:  sim 
ingrediente principal: frango do campo


♥ Lovely Sponsor ♥


Comments

  1. Uma canjinha deliciosa como esta sabe sempre bem!
    beijinhos e bom fim de semana

    ReplyDelete
  2. Outra vez paragem de digestão, miúda? Isso é do stress e das preocupações, tens de ir ao médico.
    Eu penso que os pais nos dão as bases, que eles pensam ser as melhores para nós, por vezes sem ter em conta a nossa personalidade, que é na maioria das vezes, completamente diferente da deles. Cabe-nos a nós, a uma determinada altura das nossas vidas, cortar o cordão e fazer as nossas próprias escolhas, mesmo indo de encontro aos ideais dos nossos pais, isso é que acaba por nos tornar pessoas independentes, sem ninguém para culpar a não ser nós mesmos. E ainda eu comia carne, há uns 16 anos atrás, canja era sem dúvida uma das coisas que não me passava pelas papilas gustativas, tenho-a em horror. Pior que estar doente, era colocarem-me um prato de canja à frente, era vómito garantido. Yuuuuuuukk! :S
    As rápidas melhoras :)

    ReplyDelete
  3. Espero que depois desta canjinha magnífica o teu estômago te tenha dado tréguas e que te sintas melhor.
    Quanto ao teu texto sobre os pais, é como escreves, é impossível não os culparmos elos nossos erros, pois esse é o caminho mais fácil para aliviar a nossa própria consciência, mas eu já sou mãe e sei o quão fácil é errar e cometer erros, inconscientes é certo, mas o objectivo principal é sempre o de proteger a cria...
    Beijinhos, as melhoras e bom fim de semana,
    Lia.

    ReplyDelete
  4. O que eu adoro uma canja!! Está com um aspecto delicioso, cura qualquer doencinha :) E de certeza que a "culpa" do bom aspecto dela é da tua mãe, com quem deves ter aprendido a fazê-la... :) :) Espero que te tenha feito bem e que estejas melhor!
    Beijinhos

    ReplyDelete
  5. Que belo aspecto!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ReplyDelete

Post a Comment

Popular Posts