Puré de pêra assada.


Tenho alguma dificuldade em dar-me com pessoas falsas. Em primeiro lugar, porque sou facilmente enganada. Não concebo porque raio é que as pessoas se darão ao trabalho de aparentar ser um tipo de pessoa na frente e outra completamente diferente nas costas. Em segundo, porque me parece uma grande perda de tempo e de energia alguém ser assim, energia essa que poderia ser canalizada com muito mais sucesso para outro tipo de actividades, como por exemplo, para a canoagem, ornitologia ou conservação da avifauna, para pôr e tirar os pratos da máquina, ou na loucura, para ler um livro.

Como não me dou ao trabalho de ter duas caras nem me parece que conseguisse fazê-lo com grande brio, acabo por não crer que terceiros o façam comigo. Muitas vezes confio em indivíduos de moral dúbia, partilhando mais do que deveria factos sobre a minha vida - desculpem se não estava à espera que estes fossem usado contra mim! - e esperando que eles sejam sinceros e directos comigo como eu tento ser com eles.

No entanto, como também não sou parva (ou pelo menos gosto de pensar que não o sou, mas também aqui posso estar redondamente enganada), não é raro começar a detectar quando algo não bate certo, aqueles sorrisos forçados, as bocas desnecessárias (há quem diga que dizer as coisas na cara tem mais valor, mas quem sou eu...), olhares cúmplices trocados entre os que partilham um segredo que não é o meu...

Gostaria muito de não ser presenteada com gente assim. Que este tipo de pessoas não cruzasse o meu caminho ou, pelo menos, que deixassem algum espaço entre uma e outra para eu me ir habituando ao choque e aprendendo maneiras de me defender entre duas investidas. Sei que não sou a única a ter de lidar com estes encontros imediatos de terceiro grau. Provavelmente há até quem pense que eu não sou uma pessoa de confiança. É verdade que já não confio plenamente em toda a gente e que sou muito mais cínica do que era antigamente e penso que não há nada de mal nisso. Acho que foi uma evolução natural e expectável. Mas o que eu gosto mesmo é de baixar a guarda, de não ter de sentir que preciso de estar alerta e na defensiva quando começo a detectar os primeiros sinais de que do outro lado a mensagem vem deturpada e com estática. O que eu gosto mesmo é de conversar, de me rir e de não estar a contar os minutos para a rasteira seguinte.

Ou se calhar eu é que já estou estragada.


~ Ingredientes ~

1 kg pêras
sumo de um limão
1 colher de sopa de canela em pó Suldouro

Lavar, descascar e cortar as pêras em cubos. Dispôr uma folha de papel vegetal num tabuleiro que vá ao forno e aí colocar a pêra. Regar com o sumo de limão e polvilhar com a canela. Levar ao forno a 180º cerca de 1 hora ou até que esta esteja assada. Retirar com cuidado, colocar no liquidificador e passar até obter um puré. Guardar em frascos esterilizados, os quais devem ser virados de cabeça para baixo uns minutos depois de cheios para ganhar vácuo.

Podem usar este puré de pêra em batidos, smoothies, iogurtes, para acompanhar carne, para rechear crepes ou panquecas, etc, etc...

tempo de preparação: 70m
dificuldade: *
vegetariana: sim
para crianças:  sim 
ingrediente principal: pêra

♥ Lovely Sponsor ♥



Comments

  1. Como te compreendo. Antes pensava que morar numa cidade as pessoas tornavam se muito competitivas e tudo o que se partilhava podia tornar se um dia em algo que nos atingiria. Agora numa vila do Alentejo, pequena e preconceituosa,chego à conclusão que são as pessoas e não o sitio. aqui também se tem a cara do "Bom diaaaaaa...."(sorriso incluído) e a cara do "Jà viste aquelaaaaaa, não fala com ninguém deve ser importante só porque veio de Lisboa!!!"(sorriso incluido mas desta vez de desdém).Peço desculpa mas para me conquistarem têm de ter um pouco mais de sorriso amarelo e só falo a quem quero e o que quero e me dá jeito. É uma defesa? Sim claro mas mesmo assim não deixa mos de ter de nos cruzar com as falsas e falsos...Enfim, concordo que é um gasto desnecessário de energia, mas sabes, aqui as vidas são tão pouco excitantes que as dos outros passam a fazer parte das deles só para terem algo de novo para contarem...
    Acho que com o tempo os nossos radares de gente boa se vão apurando mas não ficam 100% perfeitos pois volta na volta lá temos uma desilusão.Mas é a vida....
    Bjoka linda e aqui para o meu lado já sabes que podes baixar a guarda que a energia que tenho não a posso gastar com isso...
    Rita

    ReplyDelete
  2. Olá Maria,
    Estou a ler a tua história e estou-me a rever nesses textos. Eu também dou demais e depois levo "patada" mas, cada dia que passa estou a aprender a ser mais controlada e a ser mais forte.
    Bjs

    ReplyDelete
  3. "canoagem, ornitologia ou conservação da avifauna", Obrigado pela risada da manhã!! :)

    ReplyDelete
  4. Bela receita!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  5. Faz parte da vida sentirmos essas coisas. Principalmente quando somos pessoas que acreditamos em toda a gente. A idade apurou-me e já não sou tão ingénua como antes. Mas há uma parte de mim que ainda vive essa fantasia, por isso estou sempre a levar coices de gente que não esperava mesmo depois de dar a minha vida por elas. Sofro e sofro ainda mais, mas este ano decidi não me martirizar e seguir em frente e não perder tempo com mesquinharias. Penso sempre que quem perde são os outros, porque sempre fui assim, tenho sempre mais para dar que os outros. Espero não me ter alongado na conversa. A receita é boa como sempre! bjs e bom fim de semana.

    ReplyDelete
  6. Nem sabes como concordo contigo Maria, pois eu também odeio gente falsa e com 2 caras. Eu costumo dizer que é impossível estar sentado à mesa com Deus e o Diabo ao mesmo tempo e o mais interessante é que conheço montes de pessoas que o fazem com a maior das facilidades e faz0-me imensa confusão... isso e a nova moda de chamarem "diplomatas" aos hipócritas!!
    Bom, indo ao teu puré de p6era. adoro e tenho 2 pessoínhas aqui em casa que, assim que eu lhos fizer, o irão amar de certeza.
    Beijinhos e bom fim de semana,
    Lia.

    ReplyDelete
  7. Subscrevo cada uma das tuas palavras.
    Infelizmente, trabalho com pessoas assim há demasiados anos. Agora, passei a só falar seja com quem for com muito cuidado com aquilo que digo, quase como se estivesse a deixar um recado, ou então falo sobre o tempo e pouco mais. É muito aborrecido.


    ______________________
    Ana Teles | Telita
    blog: Telita na Cozinha



    P.S.: Já espreitaste o meu desafio de aniversário ? :)


    ReplyDelete
  8. Boa tarde! É a primeira vez que navego neste blogue e tenho de admitir que é deveras original e já me fez soltar algumas gargalhadas. Partilho da paixão pelos animais (tenho 2 cães e 2 gatas) e pela cozinha (ainda que a um nível muito mas muito amador). Estava a pensar se é possível fazer este puré mas em vez de usar pêra usar maçã? Ficarei a aguardar mais peripécias e receitas interessantes ;)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá! Antes de mais, bem-vinda! Sim, penso q não haverá problema em usar maçã em vez de pêra! E deve ficar delicioso! Bjs

      Delete

Post a Comment

Popular Posts