Cookies de alfarroba e avelãs para acompanhar os Óscares.


E eis que chega aquela altura do ano em que vejo mais filmes do que nos restantes meses: as semanas que antecedem os Óscares! Desde que se sabem os nomeados, aos primeiros vencedores nas cerimónias que os antecedem, as apostas nos vestidos usados e nos designers em destaque, tudo se encaminha para esta grande fogueira das vaidades. 

Eu não sou imune. Desde miúda que assisto noite dentro ao desfile na passadeira vermelha, torço pelos meus favoritos, rio-me com as piadas do apresentador destacado - quer tenham graça ou não. Lembro-me de um ano em que vi a cerimónia com os óculos partidos graças a um encontrão não tão inocente da minha irmã. Aguentei-me a noite toda sem adormecer e com os braços meio dormentes de agarrar as hastes à vez. Para essa noite guardei um croissant com chocolate que aqueci no microondas madrugada dentro e que provavelmente me queimou a língua, porque eu já sei como sou e nunca deixo nada arrefecer convenientemente. 

Houve anos em que não me deixaram assistir aos Óscares porque tinha aulas no dia seguinte e, como tal, acordava ansiosa por saber quem tinha sido o grande vencedor da noite. Lembro-me de tal ter acontecido com o "Braveheart", nos tempos em que Mel Gibson ainda não era odiado mas sim venerado em Hollywood. Lembro-me de aguardar pela tarde, quando as legendas já estavam disponíveis e podia acompanhar as várias horas da cerimónia sem perder pitada. Lembro-me de aturar uns comentadores muito chatos da TVI que falavam por cima dos premiados, soltando uns comentários bastante personalizados a noite fora: "como seria de esperar... e tendo em conta o que já acontecera nos Globos de Ouro... a escolha previsível...".

Nunca mais me esqueço do Cuba Gooding Jr aos saltos no palco a gritar para o Tom Cruise, do beijo que o Adrien Brody roubou à Halley Berry, de uma Julia Roberts muito emocionada de Óscar na mão, das lágrimas da Angelina Jolie enquanto assistia aos pais do actor Heath Ledger subir ao palco para receber o prémio em nome do filho. Impossível também ignorar um James Franco claramente mocado em palco e o esforço que a Anne Hathaway fez para salvar a noite. Também eu antecipei que Kathryn Bigelow receberia o Óscar de Melhor Filme quando Barbra Streisand abriu o envelope e suspirou: "It was about time!".  Devo ter sido das poucas pessoas que no ano passado se riu das piadas e que se divertiu com o talento como cantor e músico de Seth MacFarlane, mas que não percebe como é que "Argo" levou para casa o Óscar de melhor filme. Ainda hoje não entendo porque não recebeu o Óscar de melhor actor Bradley Cooper para um dos melhores filmes que já vi: "Silverlinings Playbook". Também não achei "O Artista" uma obra-prima, mas incrivelmente chato e foi graças à seca que apanhei no cinema que consegui começar a planear o meu casamento, que não havia maneira de começar a organizar a poucos meses da boda...

Actualmente tenho algumas dúvidas em relação aos meus favoritos, porque se trata de um daqueles anos em que se juntou uma constelação de estrelas, por isso vou apostar em várias frentes (ehehe!). Sou uma fácil pelos filmes com grandes argumentos e melhores interpretações, mas não ignoro uma boa banda sonora. Com base nos filmes a que assisti, são estas as minhas previsões  (cof cof cof... rufem os tambores):

- Melhor Actor: Leonardo DiCaprio (foi o único filme em que gostei realmente de o ver e foi magnífico) ou... Christian Bale (brilhante, brilhante, brilhante e irreconhecível em todos os aspectos!!!). Se derem o Óscar ao Matthew McConaughey também não me chateio, mas pronto, não é o meu favorito e seria previsível tendo em conta o que a Academia gosta de radicais transformações físicas. Já agora, porque não nomearam também o anti-social do bigodinho que falava para a Siri, ahn? Parece o esquecimento de Edward Norton como protagonista do "Fight Club". E já agora, do Brad Pitt também.

- Melhor Actriz Principal: Meryl Streep (porque foi das melhores interpretações que alguma vez vi num filme) ou... Amy Adams que é umas das actrizes mais talentosas desta geração, sem esquecer o papel fantástico de Cate Blanchet (e também sou da opinião que Emma Thompson merecia uma nomeação pelo excelente papel que interpretou em "Saving Mr Banks"). Ok, este para mim é um dos difíceis...

- Melhor Actriz Secundária: não tenho opinião formada aqui, para ser sincera. Talvez a Julia Roberts, mas a Jennifer Lawrence também esteve muito bem em "The American Hustle". O mais certo é ganhar a rapariga do "12 Years a Slave", embora não entenda bem porquê.

- Melhor Actor Secundário: Michael Fassbender. Dava-lhe o Óscar, o meu número de telemóvel e a minha chave de casa. Mas o Jonah Hill também esteve bem e já lhe escapou o Óscar em "The Moneyball", tal como ao Brad Pitt. O Jared Leto não me convenceu e como travesti parecia-se demasiado com a minha sogra, por isso por mim não leva nada para casa. Que fique com a Miley e vão os dois compôr canções horrorosas para longe.

- Melhor Filme: provavelmente ganhará o "12 Years a Slave", embora o meu favorito seja "The Wolf of Wall Street".

- Melhor Argumento Original: "Her".

- Melhor Argumento Adaptado: "The Wolf of Wall Street". Há incongruências na história do "12 Years a Slave", lamento.

Os prémios relativos à música devem ir os dois para o "Her" e serão bem merecidos. Os outros prémios não me interessam muito. Geralmente é quando os atribuem que eu aproveito para fazer pipocas e xixi.

Este ano vou acompanhar a passadeira vermelha no E Entertainment e depois passo para a TVI. Provavelmente tiro o som - como o Dr. House dizia que fazia quando via o "L-Word" - e espero aguentar-me o tempo todo torcendo pelos meus artistas preferidos.

Deixo-vos estas bolachinhas de alfarroba e avelãs para que as preparem a tempo da cerimónia e que vos acompanhem pela noite dentro enquanto assistem ao desfile dos vestidos bonitos e dos prémios recebidos. Não prometo acompanhar pelo facebook porque já há a Pipoca e todas as Pipocas Wanna Bes a fazê-lo, mas sei lá, pode ser que entretanto me apeteça.


~ Ingredientes ~

receita adaptada do livro Velocidade Colher, p. 134

80g de avelãs descascadas e partidas grosseiramente
70g de farinha de espelta
30g de farinha de trigo integral
100g de farinha de alfarroba
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
160g de Vaqueiro à temperatura ambiente
100g de açúcar amarelo
1 pacote de açúcar baunilhado Vahiné
4 colheres de sopa de flocos de aveia
1 ovo 

Pré-aquecer o forno a 180º. Bater a Vaqueiro com os açúcares e o ovo. Acrescentar as farinhas peneiradas, o sal e o bicarbonato. Juntar a aveia e as avelãs a esta massa e mexer com uma colher de pau. Com um colher de gelados formar bolachas e levá-las ao forno cerca de 10m. 



tempo de preparação: 30m
dificuldade: *
vegetariana: sim
para crianças:  sim 
ingredientes principais: alfarroba

♥ Lovely Sponsor ♥


Comments

  1. Esses bolinhos estão com um aspeto tãooo bom. Mais uma receita que vou ter de experimentar! :)

    ReplyDelete
  2. Adro os ingredientes destes cookies.
    Bjs, Susana

    ReplyDelete
  3. Também já fiz umas bolachinhas parecidas, a associação é ótima!

    ReplyDelete
  4. belas bolachinhas!!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  5. Usei alfarroba pela primeira vez à pouco tempo e gostei bastante, tenho de experimentar esta receita também :)

    ReplyDelete
  6. Adoro alfarroba, ultimamente tenho usado a farinha de alfarroba em vez do chocolate nos bolos.
    Também já fiz uns biscoitos mas vou experimentar estes, tenho é de substituir o ovo ;)
    Beijos, Sónia

    ReplyDelete

Post a Comment

Popular Posts