Para celebrar os 666 likes no Facebook.


Quando vejo no Facebook blogues, marcas, etc. a pedir likes, dá-me sempre alguma comichão. Para salvar 800 órfãos e dar de beber aos golfinhos, like. Se gostava dos Talking Heads quando ainda usava fraldas, like. Para seguir um blogue, like. Para participar num passatempo, like e ainda tenho de chatear mais 3 amigos. Para tudo o que aparentemente as pessoas valorizam no mundo virtual, like, like, like! Têm noção que eu posso pôr 300 likes por dia e mesmo assim estar-me bem a borrifar para o que publicam, não sabem? Percebem que o meu interesse no que têm para oferecer, se for baseado numa relação de reciprocidade muito pouco altruísta e com regras impostas à partida, a minha atenção não será indivisa nem é assim que se cativa e mantém um público fiel, não sabem? Tanta coisa só para ganhar um saco de batatas? Pelamordedeus.

Para mim a pedinchice dos likes é o equivalente a convidar alguém para vir cá a casa e perguntar-lhe assim:

- Queres ficar para jantar?

- Ahn... sim, porque não?...

- Então diz que gostas do meu sofá.

- Ok... gosto do teu sofá.

- Então vai lá fora à janela e grita bem alto que gostas do meu sofá de maneira a que pelo menos três dos teus amigos oiçam. Se eles também gostarem, podes comer.

Deve ser por estas e por outras  que tenho tão poucos amigos virtuais e o meu blogue ainda não passou dos 666 likes... Só pode, porque eu sou uma pessoa tão consensual e tão propensa a agradar às multidões, que não entendo porque raios serei tão pouco popular nesta geringonça que é a vida virtual. Se calhar deveria trocar likes por semanas no meu timeshare em Vilar Formoso. Acham que pegava? Provavelmente ainda ficava com uns meses para mim fora da época alta.

E agora os de sempre em coro: "é por essas e por outras que não tenho Facebook". Óptimo, menos uma a dizer "face" porque o "book" é prescindível numa conversa que se quer rápida e moderna como a vida que todos nós devemos levar, e menos uma também a comentar no café que o Zé Maria lá do escritório "gostou" do seu novo estado civil. É uma pena que haja ainda gente que não adere às redes sociais e, pior, que nem sequer saiba usá-las quando tem tantas potencialidades. Através do Facebook, posso manter o contacto diário com pessoas que não estão a uma distância física suportável. Através do Facebook posso cuscar as tuas fotografias das férias nos álbuns que disponibilizas online, sem ter de te dirigir palavra durante meses, e muito menos de ir a tua casa assistir à projecção dos slides na parede branca da sala enquanto aparento estar muito interessada nas praias de Monte Gordo onde foste com a famelga e o campingaz relaxar da azáfama citadina. Como é que soube que gostaste de lá estar? Porque o publicaste no Facebook. Caso contrário, provavelmente nem me lembraria que Monte Gordo poderia ser assim tão divertido ou que sabes nadar.


~ Ingredientes ~

receita adaptada de 24 Kitchen

1 cup de queijo da ilha ralado
1/4 cup de curgete ralada
1/4 cup de cenoura ralada
óregãos secos
sementes de sésamo douradas Margão
pimenta preta Suldouro

Depois de ralar os legumes, colocá-los num escorredor e deixá-los aí o tempo suficiente para que percam toda a água. Juntar aos restantes ingredientes e colocar num tabuleiro de forno forrado com papel vegetal a 180º até que os rebordos comecem a torrar. Retirar e deixar arrefecer as tirinhas antes de servir como aperitivo.

tempo de preparação: 30m
dificuldade: *
vegetariana: sim
para crianças: sim
ingrediente principal: queijo da ilha

♥ Lovely Sponsor ♥  


Comments

  1. queijo e legumes.. deve ser divinal!

    ReplyDelete
  2. Comecemos pela receita que já me agradou e muito e provavelmente vou fazer em breve, num dia em que haja pizza com base de courgette.
    Quanto aos likes, parabéns, tiveste a audácia que eu não tive em celebrar os 666, número bem giro por sinal. E digo-te, nunca li uma descrição tão apropriada do que é esta troca maluca de likes e divulgações e negociatas no facebook. Tá tudo lá!

    ReplyDelete
  3. Eu gostei mesmo foi do fabuloso 666. Diz lá que não tens um pacto com o diabo ;). Malvada!!
    Também tenho pouca paciência para essas "cenas".

    ReplyDelete
  4. ... e estas coisinhas têm bom aspecto, parecem paillasses de pomme de terre, gosto muito.

    ReplyDelete
  5. Muito bom! A receita e a escrita. Não há que temer dizer aquilo que se pensa e tu costumas dizê-lo muito bem! bjs carla sousa

    ReplyDelete
  6. Maria, essas tirinhas estão com aquele aspecto extra-crocante e cheias de sabores que adoro. Não tinham como escapar.
    Em relação ao resto tenho de te dizer que a honestidade e sentido de humor que dás aos posts é do que mais admiro em ti. ;)
    O que a minha curta experiência neste pequeno universo me diz, é que por vezes não precisas de pedir likes para entrares neste “sistema”. Olha o meu caso, que nunca pedi likes, no entanto, a partir do momento que vejo a página a crescer repentinamente porque alguém a partilhou e lhe deu um bom boost, uma nova dinâmica, o mínimo que posso fazer é retribuir. Mas isto sou eu. Chama-lhe Divulgação/Partilha solidária, se quiseres.
    Claro que o nº de likes não determina nada, não te mostra que público está ali ou se valoriza o que partilhas, mas o tempo encarrega-se de filtrar, e só os que realmente tem interesse no que publicas ficarão. Acredito nisso.

    Bjinhos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Concordo em 150% com o que dizes. Esses actos de partilha que à partida são altruístas, tb tenho todo o gosto em retribuir. E sabe mesmo bem que o façam quando nada foi pedido ou o façam nao esperando nada em troca. O tempo encarrega-se de manter quem lá quer realmente estar (e que não chegou à procura de prémios apenas) e tb de manter os blogues que são mais do que uma copia descarada de terceiros. Bjs

      Delete
  7. Estas crackers têm um aspeto excelente! Confesso que também detesto a coisa do fazer like e "tagar" três amigos (tagar? a sério?), portanto deixei de participar nos passatempos que o pedem.

    ReplyDelete
  8. que bela sugestão!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  9. Querida Maria,
    AMO a tua honestidade e a forma como escreves e chamas as coisas pelo nome e essa é uma das características que mais admiro nos teus posts.
    AMEI este teu post e olha, começo pelas tirinhas que gostei tanto, mas tanto, que já levo a receita, pois no Domingo tenho um almoço e vão servir como canapés para dar o pontapé de partida à coisa...
    Facebook, Face, Book, whatever, pois... eu sou das que não tem!!
    Não tenho porque não sinto falta. Falo com os meus amigos e família - e quando digo amigos refiro-me ao grupo restrito que fazem parte desse grupo de verdade e dão sentido literal à palavra e não das 50.000 pessoas que se tem como amigos no facebook - sempre que quero, através de e-mail, skype, whatsapp e sempre funcionou e funciona lindamente.
    Não me identifico com o facebook porque é como dizes, é mais face que book e sinceramente, não tenho um ego elevado o suficiente para dele fazer parte e como tenho coisas mais interessantes onde empregar o meu tempo, opto por não fazer parte do grupo dos facebookianos, eheheh!
    Beijinhos grandes,
    Lia.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ahaha obrigada! Eu uso muito o facebook, ajuda-me a manter em contacto e a par do que realmente me interessa. Tem o seu lado bom e mau (como td), depende de como o usas. As minhas tirinhas ficaram moles e não crocantes, talvez porque isso queijo da ilha e nao parmesão que derretem de maneira diferente... mas de sabor são verdadeiramente deliciosas e eu adorei, daí que apareçam aqui tb :) bom almoço! Beijinho

      Delete
  10. Antes de mais a receita: perfeita, já estou a babar só d epensar nesse gostinho a queijo...
    Agora, mais uma vez obrigado pela gargalhada matinal :D
    Adoro a maneira honesta como escreves, a forma despreocupada como dizes aquilo que os outros (pelo menos eu) pensam.
    Continua:)
    beijinhos
    Sara

    ReplyDelete
  11. Agora já tenho mais uma ideia para utilizar as courgettes da horta que andam aqui aos pontapés. Já ia cortá-las aos pedacinhos e congelá-las, mas hei de experimentar esta ideia com aspeto de comida mexicana. Vou tentar tostá-las um pouco mais e se calhar ainda arranjo um molho para dip. Já viste o que me fazes? Só ideias e mais ideias. E tempo? Isso é que é pior. Como o tema dos likes está na ordem do dia, não te dou um mas cinco likes para esta receita. Beijinhos
    Patrícia

    ReplyDelete

Post a Comment

Popular Posts