Eu, tu e o tofu.


Recentemente fomos almoçar a um dos meus restaurantes favoritos, o vegetariano Psi junto ao Campo Mártires da Pátria. Este é um daqueles sítios a que voltamos mesmo sem fome. O espaço é lindíssimo, num ambiente com decoração indiana, imensa luz, localizado num jardim ao estilo oásis em pleno coração de Lisboa. Há anos atrás quis levar o meu actual marido a jantar ao romântico Psi e enquanto aguardávamos que nos encaminhassem à mesa, ele espreitou a ementa. Em pânico, atirou-me com um "mas aqui não há carne?!". Ao que eu respondi, "é um restaurante vegetariano, urso" (não sei se respondi mesmo assim, mas se não o fiz, devia). "Mas eu não gosto de nada disto...", continuou ele, aterrado. "Qual é o teu legume favorito?", perguntei eu. E eis que ele remata com: "Esparregado...". Tenho quase a certeza que já aqui partilhei esta história, mas vale sempre a pena recordar. O meu marido tem outras tiradas engraçadas, mas vou guardá-las para as usar em meu proveito, como quando ele disse que eu parecia uma linda zebra no meu vestido de casamento branco e preto... Digamos que ele se destaca por conseguir conciliar um sentido de humor muito particular com uma enorme capacidade para aguentar sem respirar debaixo de água. 

Continuando... Há dias fomos almoçar ao Psi e, apesar do Manel já estar habituado à alimentação vegetariana, que é cerca de 80% do que comemos cá em casa, aconselhei-o a pedir os cogumelos recheados de entre os três pratos do dia disponíveis. Pareceu-me o mais aproximado possível do que cozinho cá em casa e com ingredientes que facilmente identificava como "amigáveis". Eu optei por uma korean tofu bowl, picante. Há anos atrás ele seria o primeiro a torcer o nariz a ir sequer almoçar num vegetariano, como aliás o exemplo ilustrativo acima assim o demonstra. Por isso tentamos encontrar-nos a meio caminho: bem cozinhado, ele prova tudo. Quando nos sentámos e me vi frente a este delicioso prato...

Directamente do meu instagram (@mary.jane.1983) para o mundo.
... e provei o tofu, assumi que ele ia gostar. Ainda se desviou do meu garfo, espetado em direcção à sua boca ao estilo aviaozinho em queda livre, mas mal provou o tofu, ele adorou-o. Não só o adorou, como comeu metade do que me puseram à frente. E no dia seguinte perguntou-me: "já pesquisaste como fazer aquele tofu?..." Nunca nos meus sonhos mais loucos alguma vez esperei este tipo de reacção daquele que há doze anos atrás não sabia distinguir esparregado de espinafres. Mas pronto, as pessoas evoluem. Qualquer dia está a colocar a máquina da roupa a lavar sem eu ter de lhe pedir  repetidamente e explicar pela enésima vez como separar os claros dos escuros. Baby steps.

Abaixo segue a minha tentativa de recrear o prato que me serviram no Psi. Procurei acertar na receita da marinada do tofu e ficou parecida. Tudo o resto é invenção minha. Da próxima vez vou dobrar o molho para poder envolvê-lo também nos noodles e logo vos conto como fica...



Tofu asiático

para a marinada

receita adaptada de Vegan Miam

400g de tofu firme cortado em cubos
3 dentes de alho esmagados
1 colher de chá de gengibre ralado
1 colher de sopa de tamari
1 colher de sopa de mirin
1 colher de sopa de xarope de ácer
1 colher de café de piri piri moído

50g de glass noodles
250g de feijão verde 
sal
óleo de côco
coentros frescos picados
sementes de sésamo

Deixar o tofu envolvido na marinada durante 24h no frigorífico.
No dia seguinte começar por arranjar o feijão verde, lavando-o com cuidado, aparando as pontas e cortando ao meio. Cozer o feijão ao vapor até que fique al dente. Entretanto ferver água e deixar os glass noodles de molho 5m. Escorrer bem, acrescentar uma pitada de sal e misturar com o feijão verde quando este estiver pronto. Aquecer o óleo de côco numa frigideira. Aí fritar os cubos de tofu de todos os lados. Juntar à massa e servir imediatamente com coentros picados e polvilhado com sementes de sésamo.

Comments

  1. Aqui em casa não consigo que provem tofu , torcem logo o nariz.
    Eu gosto e achei esse uma delicia, seria um almoço perfeito.

    ReplyDelete
    Replies
    1. podias experimentar fazer para ti e depois partilhar com a tua família, assim como eu fiz. eu também tenho uma relação complicada com o tofu, mas nada que uma boa marinada não resolva, como cedo tenho vindo a descobrir.

      Delete
  2. Opa, já conhecia a história mas não consigo deixar de rir XD a do esparregado é demais!! Esse prato tem meeeega bom aspecto, tenho de lá ir!! Mas se calhar ainda experimento primeiro em casa esse tofu maravilha! Quanto à máquina da roupa, same here! Mas tenho de dar crédito, a roupa já não fica na máquina à espera de intervenção divina para ser estendida (ou seja, que é a estenda...) :P

    ReplyDelete
    Replies
    1. olha e sábado passado voltámos lá. íamos no carro e diz o manel todo contente: "já sei o que vou pedir!" e eu respondi-lhe apenas que era um prato do dia, por isso o mais provável era não terem disponível. mas não só tinha, como eu, ele e o pai dele pedimos o tofu, que estava novamente divinal! entretanto fui ao supermercado do martim moniz e trouxe o picante coreano para fazer novamente este prato.

      Delete
  3. Hehe adoro a história do esparregado e da zebra, ele tem umas boas tiradas :)
    Que fixe ele ter adorado o tofu, e tem realmente um aspecto dos deuses esse prato.
    Um dia quero voltar ao Psi, que saudades de Lisboa e dos tempos de faculdade.
    Uma beijoca.

    ReplyDelete

Post a Comment

Popular Posts