Cá por casa é assim... e uma receita com atum.


Quem conhece este blogue desde o seu início, ou seja, há cerca de quatro anos, consegue identificar tendências e diferenças. Eu também. Consigo identificar uma evolução na maneira de escrever, nos temas escolhidos, na maneira de confeccionar as receitas. Outro aspecto que impactou o conteúdo do blogue foi o facto de ter deixado de comer carne há cerca de dois anos e meio.

Embora a minha alimentação actualmente seja maioritariamente vegetariana e com base nas populares wholefoods, derivados, peixe e marisco ocupam os restantes 20%. Sei que ultimamente as receitas aqui publicadas têm reflectido a maioria das receitas que cozinho cá para casa, o que faz algum sentido, especialmente se estiverem familiarizados com os rudimentos da matemática. O que a maioria não sabe é que eu cozinho muitas vezes comida diferente para mim e para o meu marido, em parte porque não posso obrigá-lo a gostar de tudo o que como, mas também porque cada um tem o direito ao seu percurso. E se posso influenciar pelo exemplo, também não faço milagres nem sou perfeita para dar lições de moral alimentares a ninguém.

Outro aspecto importante a reter acerca do conteúdo deste blogue: eu gosto que ele se mantenha fiel à realidade. E se a realidade envolve por vezes o consumo de peixe, lacticínios e o ocasional bolo, então gosto de vê-los reflectidos aqui também. Se o meu percurso me encaminhar para uma alimentação diferente da que fazemos cá por casa, então esta também aparecerá por aqui. Acima de tudo devemos estar conscientes das nossas escolhas alimentares, ser responsáveis por elas e comermos bem porque gostamos de nós, não para alimentar modas e hashtags


Assim, um dos poucos pontos em comum que eu e o meu marido partilhamos prende-se com o consumo de peixe. Referia-me única e exclusivamente às refeições em conjunto, não sejam más línguas... Ele pede muitas vezes que lhe cozinhe tartes ao domingo, as quais pode ir aquecendo fatia a fatia durante os jantares semanais. E as tartes que pede são geralmente à base de atum. Esta ia sendo mais uma dessas semanas. Só que peguei numa revista do Pingo Doce, folheei as receitas e encontrei este cake. Perguntei-lhe se achava que poderia substituir a tradicional tarte e ele aceitou. O resultado é absolutamente espectacular! Podemos sempre trocar o arroz arborio por arroz integral para incluir mais fibras e o atum por legumes, para não fugirmos ao vegetarianismo. Mas também podemos deixar assim e contentarmo-nos por comermos comida a sério e saborosa.

Vá lá... Pensavam o quê? Que eu agora me alimentava apenas de sementes e alpista?...



                                        Cake de atum, arroz e espinafres


~ Ingredientes ~

receita adaptada da revista "Sabe Bem", n.º 32, p. 85

200g de arroz para risotto
1 folha de louro
1/2 colher de café de sal
2 colheres de sopa de azeite
sumo de 1/2 limão
raspa da casca de 1 limão
1 cebola
1 dente de alho
1 molho de espinafres
3 ovos orgânicos
1 molho de manjericão
3 colheres de sopa de mozarela ralada
2 latas de atum em água, escorrido e passado por água

Cozer o arroz com uma folha de louro e o sal no dobro da água. No final da cozedura retirar o louro e juntar 1 colher de sopa de azeite, o sumo e a raspa de limão.
Picar a cebola e o alho e refogá-los no restante azeite. Adicionar os espinafres lavados, mexer e manter ao lume até que estes murchem. 
Numa tigela à parte bater os ovos, juntar o manjericão e 2 colheres de sopa de queijo. Misturar o arroz com o refogado, juntar a mistura de ovos e  o atum e envolver bem. Retirar do lume, colocar numa forma de bolo inglês, polvilhar com a restante mozarela e levar a forno pré-aquecido a 180º por 30m.

Tempo de preparação: 30m
Dificuldade: fácil
Serve: 6



Comments

  1. Olha que este cake é bem capaz de servir cá para casa para os almoços do meu rapaz mais novo! Vou fazer e depois conto-te! ;)
    Beijos

    ReplyDelete
    Replies
    1. boa boa! espero que os "miúdos" aí de casa gostem tanto como nós! ;)
      bjs

      Delete
  2. Replies
    1. são deliciosos, muito versáteis e ficam com um aspecto fantástico na mesa!

      Delete
    2. Experimentei a receita, o sabor é ótimo, mas a consistência não me saiu bem. Provavelmente porque o queijo, que não usei, ajuda a aglutinar o bolo. O meu desfez-se ao desenformar... Mas foi na mesma comido com prazer!

      Delete
    3. deve ter sido isso sim, porque o queijo como é envolvido no arroz e assado lá dentro ajuda a manter o bolo uniforme. talvez se colocares mais ovos funcione melhor... e espreita aqui também por alternativas vegetais ao queijo que talvez funcionem bem também: https://estilovegan.com.br/queijo-alimentacao-vegana-como-substituir/

      Delete
    4. Usei levedura de cerveja, dá um bom sabor mas não tem poder aglutinador!

      Delete
  3. Adoro bolos salgados e com base de arroz, são super refeições em conjunto com uma boa salada ou uma sopinha. Comida a sério, quer seja com alpista ou não lol, desde que seja saborosa e vocês gostem é o mais importante.
    Um beijinho.

    ReplyDelete
    Replies
    1. ahahah! a alpista também sacia, especialmente se vier salpicada em cima de um pãozinho de hambúrguer! estou por tudo, vão assassinar-me os nutricionistas do instagram eheheh
      bjs

      Delete
  4. Acho que é das coisas que mais gosto de comer: atum! E coisas com atum também! =D Claro que tenho que experimentar esta receita! Que boa pinta, caramba. =)

    Um beijinho dourado,
    O Biquíni Dourado
    Facebook
    Instagram

    ReplyDelete
    Replies
    1. também gostámos muito cá em casa, experimenta!

      Delete

Post a Comment

Popular Posts