Oh no, another green smoothie recipe...



Às vezes chego muito atrasada às modas. Há cerca de dois anos atrás surgiu um boom de sumos verdes, sumos detox, batidos saudáveis, you name it. Com isso nutricionistas e bloggers ganharam protagonismo de um momento para o outro. Não havia revista (desde à Activa passando pela Sábado) que não surgisse com uma nova receita onde se escondiam superalimentos e promessas de juventude eterna. Parecia que tínhamos encontrado a fonte da juventude não no fim do arco-íris (ah, pois aí é o pote de ouro... bom, algumas encontraram-no!) e desprezando a ajuda de Ponce de Leon. Essas senhoras aproveitaram a onda dos legumes crus, surfaram-na e tão depressa como os verdes chegaram, também desapareceram. Ou assim pareceu. 

Na altura também me apeteceu experimentar os famosos sumos verdes e usufruir das suas propriedades aparentemente milagrosas: melhor digestão, pele mais radiante, saúde de ferro e perda de peso. O costume, portanto. Claro que quis fazer as minhas próprias experiências. O resultado não foi de todo o esperado: imenso inchaço abdominal, horas de digestão e uma aversão generalizada a tudo o que fosse verde e cru, excepto na salada. Surgiram os primeiros alertas: "your green juice might be causing you to gain weight!!" WTF? Batidos verdes nunca mais, pensei eu.


Seguindo aquele famoso adágio "nunca digas nunca", recentemente voltei a dar uma segunda chance aos batidos verdes. Informei-me melhor acerca de alguns mitos (como o consumo em cru de espinafres e a sua relação com o ácido oxálico) e quais as melhores combinações de ingredientes. Percebi quais os erros que estava a comentar no passado e como gostaria que uma fotografia facilmente instagramável de um sumo verde viesse com manual de instruções. Como sempre, menos é mais, pelo que sugiro a leitura destas duas publicações para ajudar na construção destes batidos: smoothies for beginners e green smoothie questions. Para mim o essencial é: não aldrabar na fórmula dois legumes + duas peças de fruta; não coar o batido; alternar os ingredientes; e acrescentar apenas um extra que torne o sumo diferente (por exemplo, uma proteína vegetal, um superalimento, matcha...). 


Tenho experimentado beber um por dia ou a cada dois dias. Adoro a cremosidade que a banana confere aos batidos. As acelgas, mas não o seu tronco mais rijo, são uma adição muito bem vinda a qualquer sumo. Uma maçã ou uma pêra madura fazem maravilhas para contrapor aquele sabor "mais verde". Não sei se será efeito placebo ou auto-sugestão, mas sinto-me realmente mais bem disposta e com mais energia após beber estes sumos.

Enfim, há um sem fim de combinações e experiências que actualmente me fazem incluir estes batidos na minha rotina e recebê-los sem os efeitos secundários que há poucos anos atrás me fizeram rejeitá-los completamente. Sugiro que lhes dêem também uma segunda oportunidade, se for o caso, e a não cair na tentação do tempo frio que se avizinha e fazer uma sopa com estes legumes crus. 

Sumo Verde


 ~ Ingredientes ~

Um punhado de folhas de espinafre selvagem 
Uma maçã
sumo de uma laranja
Duas colheres sopa de funcho fresco cortado em pedaços
Um pedaço pequeno de gengibre fresco
Uma colher de sopa de cânhamo em pó
Água


Misturar todos os ingredientes num liquidificador. Beber imediatamente sem coar.



Tempo de preparação: 15m
Dificuldade: fácil
Serve 1



Comments

  1. Esta foi uma daquelas modas a que nunca aderi. Para dizer a verdade, só de pensar em engolir um copázio daqueles logo de manhã até o estômago se revira! E sabes, não és a única a ter tido más experiências, várias pacientes minhas se queixaram de estar a aumentar de peso e volume com os ditos sumos detox. Acho que o problema é que as pessoas faziam autênticas refeições em forma de copo, e claro, isso não pode dar bom resultado, além de ser um enorme desafio para o corpo digerir.
    Acho que o segredo é mesmo dosear.
    Beijinhos

    ReplyDelete
    Replies
    1. essa ideia de começar o dia com o sumo verde também não me agrada muito. ando a tentar começar sempre com água morna e limão e geralmente só à tarde é que bebo o sumo, mas a verdade é que sugerem que seja ao contrário até por causa de questões digestivas. como sempre o melhor é ouvirmos o nosso corpo e agirmos com sensatez na hora de preparar um sumo ou qualquer outra refeição.
      beijinho sara!!

      Delete
  2. Nunca aderi a esta moda, experimentei sim, mas lá está, senti mais mal estar que bem estar. E de manhã prefiro um smoothie mais leve, acho um destes demasiado. Depois vês aqueles mega copos/frascos/garrafões lol e pensas, logo de manhã? hum, não sei se conseguiria. De vez em quando e numa quantidade de copo normal, e seguindo estas regras que falas, então sim. Porque em termos de sabor gosto muito até. É ver o que o nosso corpo aceita e como se comporta.
    Um beijinho.

    ReplyDelete
    Replies
    1. eu acho engraçado a maneira como inserimos estas novas modas na nossa vida. no outro dia vi uma miúda toda fit no instagram a dizer q comia sopa de manhã e fiquei "ewww que nojo!", mas quando andava meio mundo a comer "sopa crua" nos batidos verdes rapidamente se tornou moda! ;)

      Delete

Post a Comment

Popular Posts