Nem todo o arroz nasce igual #5



É frequente existir uma certa aversão pelos hidratos de carbono, especialmente entre quem procura reduzir rapidamente o seu peso. Low carb ou no carb são algumas das expressões que podemos encontrar em certas receitas destinadas a quem procura este tipo de resultados imediatos. Porém, tal como durante anos as gorduras foram responsabilizadas pelos problemas cardiovasculares e hoje sabemos que houve "alguma" manipulação da informação por quem lucrava com esta interferência (e quem lhe deu uma mãozinha também), existe também agora algum cuidado em não demonizar completamente grupos nutricionais. Talvez porque resultados imediatos comprometam ganhos definitivos ou porque cada vez mais as pessoas procuram ganhar saúde com equilíbrio e consciência em vez de uma barriga aos quadradinhos da noite para o dia.  

Sabendo nós que cada macronutriente desempenha funções específicas e importantes no funcionamento do nosso organismo, faz pouco sentido diminuir radicalmente hidratos de carbono, excepto em situações particulares e devidamente acompanhadas. O que importa reter é a quantidade e a qualidade dos macronutrientes no geral e dos hidratos em particular que ingerimos para garantirmos uma alimentação saudável e equilibrada. Uma dieta pobre em hidratos carrega consigo consequências, como hipoglicémia, perda muscular e danos no sistema nervoso central. Podem encontrar mais informação aqui.

Então porque é que há quem continue a insistir? Talvez por falta de informação ou porque velhos hábitos sejam difíceis de mudar. Talvez porque estejamos sempre tão habituados a culpar os mesmos que nos esquecemos de parar para pensar "mas porquê?". É por estas e por outras que melhor do que roubar a dieta da vizinha ou tomar como verdadeira toda a informação que se lê na internet seja melhor consultar um especialista no assunto. Digo eu.

Assim sendo, quais os critérios a adoptar na escolha dos hidratos correctos? É aqui que o blogue Nem acredito que é saudável vem esta semana dar uma ajuda. A Sara sugere-nos a introdução de dois tipos de arroz na nossa alimentação, o preto e o vermelho. Ambos devem as suas cores exóticas à quantidade de antioxidantes que os compõem e não propriamente aos espírito carnavalesco que esta semana nos envolve. Porém as características destes dois tipos de arroz não se esgotam apenas nas antocininas que fazem parte da sua composição e que lhes conferem as diferentes tonalisdades,  mas no teor elevado de fibra e proteína que os compõem, fazendo deles opções válidas e muito interessantes numa alimentação saudável e equilibrada. 

Sugiro que agora espreitem o Nem acredito que é saudável para que conheçam melhor as características individuais de cada um destes ingredientes e que se inspirem também como eu a introduzi-los nos vossos menus semanais.


E se quiserem também participar neste desafio poderão fazê-lo. Enviem-me um email para lim.edition2012@gmail.com e guardo-vos um espaço no calendário. Se reproduzirem nas vossas cozinhas alguma das propostas aqui apresentadas, utilizem o #desafioreceitasaudável e partilhem connosco as vossas versões e interpretações para que todos possamos contribuir para um estilo de vida mais saudável que passa pela comida, mas não se esgota nela.


Comments

  1. Que engraçado no outro dia fiz um vídeo com os dois. Entre os dois prefiro o arroz preto comprido o sabor é simplesmente fenomenal! O arroz vermelho no inicio era um desafio para cozer confesso. Eu já deixei de "truques", variedade no tipo de arroz e hidratos em geral. Eu acho que há pouca filtragem da informação, porque o que não falta são livros, profissionais de saúde não extremistas e blogs como o vosso a partilhar dicas conscientes.
    Uma pena que estas pérolas sejam um abuso em termos de preço aí em Portugal. Aqui é mais ou menos acessível. Imagens deliciosas! Vou ver a receita no Blog.

    Joana, Joana Banana, Joanabbl ou Raparigamoderna :P

    ReplyDelete
    Replies
    1. Gosto dos teus alter-egos, uma pessoa até fica baralhada com tanta Joana que por aqui passa (eu incluída lol). Fiquei cheia de vontade experimentar tanto um arroz como o outro. A Sara tem este dom de nos fazer apaixonar pelas pequenas grandes coisas. O blogue dela é cheio deste tipo de relíquias e tenho muita sorte que participe sempre nos meus desafios também.

      Delete
  2. Durante algum tempo tentei seguir uma regra de não comer hidratos de carbono depois das 18h. Na realidade nunca resultou muito bem. Claro que não me encho em hidratos até mais não...mas estou contigo, temos que fazer escolhas acertadas! :D ehehe
    Beijinho

    ReplyDelete
    Replies
    1. Essa regra e muitas outras às vezes mais atrapalham do que ajudam. O truque é fazer escolhas acertadas de acordo com os nosso objectivos e nos tempos certos.
      Gostei muito da tua pizza de couve flor também!!
      Beijinho

      Delete

Post a Comment

Popular Posts