E assim em 7 pontos é apenas isto e mais umas papas de pequeno almoço #10


De cada vez que me chega uma participação neste desafio tento procurar um ângulo do texto que me enviam para expor a minha opinião e desenvolver a minha própria postura em relação à perspectiva de cada um no que à alimentação saudável diz respeito. Às vezes acrescento mais palavras minhas, outras vezes perco-me num pormenor, outras deixo-me levar. Esta semana vou mesmo fazer das palavras da Patrícia do Not Guilty Pleasure minhas também. Não deve ser por acaso que temos uma postura tão semelhante. Ao fim e ao cabo a Patrícia foi uma das primeiras pessoas que o blogue me trouxe e ficava aqui uma tarde a contar a quantidade de vezes em que partilhámos receitas, histórias de gatos e muito mais. Fica apenas por dizer que, provavelmente, nunca teria tantos grãos, cereais e leguminosas no meu prato se ela não me puxasse pelas orelhas eticamente de x em x tempo. Mas isso fica para outras núpcias que hoje estamos aqui para falar de comida. 

E como não tenho muito mais a acrescentar, vou só expor em pontos sucintos o que retiro do seu texto que mais me faz identificar tanto com a sua postura:

  1. comer deve ser uma demonstração de felicidade e não de restrição ou de castigo, em que nutrimos o nosso corpo com o que nos faz sentir melhor e procuramos o equilíbrio nutricional e emocional;
  2. fazer escolhas éticas, que reflictam a nossa postura em relação ao ecossistema em que vivemos, e do qual somos apenas uma pequena parte;
  3. comer com variedade, da época e enchendo o prato de cores;
  4. não há fórmula para a saúde, somos todos diferentes e cada um deve procurar o seu equilíbrio sem esquecer alguns pilares essenciais;
  5. perceber que vegetarianismo e saúde nem sempre são equivalentes;
  6. entender que não vamos conseguir ter uma alimentação perfeita todos os dias e que procurar apenas isso é sinal de algo está errado;
  7. e se somos o que comemos, as escolhas que fazemos para o nosso prato devem reflectir o que queremos para nós também.


Como diria não sei quem de uma citação que tirei da internet (Fernando Pessoa, seria?)

"You are what you eat, so don't be fast, cheap, easy or fake."

Para conhecerem a receita de papas de arroz da Patrícia convido-vos a espreitar o seu Not Guilty Pleasure (do qual sou leitora assídua há uns bons quatro anos e cuja imagem é cada vez mais linda graças a um senhor que faz anos no mesmo dia que eu, logo só pode ser boa pessoa).


Se quiserem também participar neste desafio, poderão fazê-lo. Enviem-me um email para lim.edition2012@gmail.com e guardo-vos um espaço no calendário. Se reproduzirem nas vossas cozinhas alguma das propostas aqui apresentadas, utilizem o #desafioreceitasaudável e partilhem connosco as vossas versões e interpretações para que todos possamos contribuir para um estilo de vida mais saudável que passa pela comida, mas não se esgota nela.


Comments

  1. Gosto tanto da Patrícia, e adorei ler esses sete pontos, com os quais concordo.
    E adorei a citação de Pessoa :)
    Estas papinhas, que coisa boa. Ultimamente tenho-me virado muito para as papas, sabem-me tão bem quando ando mais adoentada. E dão logo mais energia!
    Um beijinho.

    ReplyDelete
    Replies
    1. é verdade, as papas são muito completas. eu vou alternando o pequeno almoço consoante a estação. iogurtes quando está mais quente, papas quando está mais fresco. agora estou na fase de comer pão da padaria que abriu aqui ao lado e tem um pão brutal!!!

      Delete

Post a Comment

Popular Posts