Tudo em moderação e uns lindos cupcakes #14


Eu sou uma grande defensora do "tudo em moderação" ou do "tudo com equilíbrio". Acho que encontrar o bom senso entre "a alimentação cura, a alimentação mata" é perceber que não podemos viver a vida a correr atrás do prejuízo, seja por um corpo perfeito, seja por uma saúde de ferro. Devemos, isso sim, procurar estratégias que nos permitam ter mais qualidade de vida, mas sem termos o macaquinho das neuroses a bater no gongo atrás da nossa cabeça obrigando-nos a seguir fórmulas milagrosas ou a acreditarmos que fintamos a mortalidade com uma alimentação hiper-saudável.

Como dizia um antigo colega meu com quem trabalhei há uns anos atrás - fumador, com excesso de peso, sedentaríssimo e, na minha mais honesta opinião, um grande idiota - ao ver-me comer as minhas comidinhas saudáveis enquanto enfardava mais um hambúrguer cheio de gordura: "Com tanta saúde, tu vais mas é morrer atropelada." Eu ri-me porque o que ele merecia ouvir era algo para o qual ainda não estava preparado: "Provavelmente sim, vou morrer atropelada visto que sou muito distraída, mas até que isso aconteça sou capaz de ver os teus filhos crescer e tu não..." 

Porém, há determinados aspectos que devemos ter em consideração... Num vídeo recente, o Dr. Michael Greger (autor do famoso Como não morrer, por exemplo) fala-nos sobre o impacto da gordura saturada no colesterol e como devemos manter os seus níveis no máximo até 150. Aparentemente as recomendações de saúde pública que nos aconselham a não o elevar acima dos 200 mesmo assim colocam-nos na mira dos problemas cardíacos. Até esta pequena diferença poderá ser fundamental para evitar riscos consideráveis. É a contrapartida ao "tudo em moderação". Por outras palavras, o ideal para o Dr. Greger seria "Sem moderação apenas uma alimentação à base de plantas, caso contrário morreremos todos atropelados". Percebem onde quero chegar aqui? 

As pessoas ficam sempre um bocadinho deslumbradas com a suposta objectividade da ciência, dos seus estudos, enamoradas da sua eficácia, das suas teses de validação e da primazia da razão que a coroa... Qualquer pessoa que leia um pouco sobre modernismo e se interesse por estudos de ciência (aconselho Bruno Latour e as obras Pasteurization of France e Laboratory Life) sabe que nada é assim tão linear e mesmo a ciência é objecto de construção social. Mas nem precisamos de ir tão longe. Basta convidarmos um seguidor da dieta paleo para nos dizer o que acha do impacto do colesterol na saúde. Ou também podemos aceitar as verdades dos estudos científicos como o jornalista Brian Deer nos aconselhou: com moderação. E aqui refiro-me à sua investigação de 10 anos com o intuito de desmascarar o médico que associou autismo à vacinação e os estudos científicos que supostamente validavam as suas teorias. 

Agora que já pus toda a gente a pensar - ou a mudar de blogue - apresento-vos estes fantásticos cupcakes crus de morango, cortesia da Sardinha Fora da Lata. A Luísa, a blogger por detrás deste projecto, tem das receitas mais fantásticas que encontro por aí, a par de um activo trabalho de educação e consciencialização em prol de uma vida saudável, seja através da informação que disponibiliza no seu site, seja através de workshops. Isto não significa, porém, que a Luísa acredita que uma vida saudável se baseia numa micro-gestão de tudo o que come. Como ela própria afirma, um dia não são dias e o problema é mantermos uma dieta baseada em algo que alguém nos disse que era comida mas afinal, surpresa das surpresas, não é! Por isso o meu conselho, com base única e exclusivamente na minha experiência, e aliada ao tanto que já aprendi com a Luísa e outros que tais, comam comida a sério, façam disso a regra. O resto tudo só com moderação ou, se preferirem, excepcionalmente.  Por outras palavras, a comida não deve viajar da prateleira para a mesa, mas sim "da terra para o prato".


Se quiserem também participar neste desafio, poderão fazê-lo. Enviem-me um email para lim.edition2012@gmail.com e guardo-vos um espaço no calendário. Se reproduzirem nas vossas cozinhas alguma das propostas aqui apresentadas, utilizem o #desafioreceitasaudável e partilhem connosco as vossas versões e interpretações para que todos possamos contribuir para um estilo de vida mais saudável que passa pela comida, mas não se esgota nela.

SaveSave
SaveSave

Comments

  1. Que cupcakes fantásticos!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ReplyDelete
  2. Moderação e nada de extremismos. Adoro tentar e comer bem sempre que posso, mas também adoro as alturas em que me apetece algo naughty e o satisfaço :)
    E adoro estes cupcakes da Luísa, tão fofos! Ele tem receitas realmente diferentes e inspiradoras.
    Um beijinho.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Pois tem, as receitas da Luísa são de comer e salivar por mais!

      Delete

Post a Comment

Popular Posts