Maki sushi de amêndoa e uma ceia improvisada.



Eu sou daquelas pessoas que acredita que uma boa receita vem sempre acompanhada de uma boa história. As pessoas com quem estávamos quando provámos determinado prato, a lista de músicas que ouvimos da primeira à última garfada, o carinho que investimos na confecção de uma receita, o restaurante que visitámos e onde fomos brindados com uma refeição fantástica. 


Eu acredito que a alimentação se faz de partilhas, não da contagem de nutrientes ou de calorias. Há um lado afetivo que nos ultrapassa, que sobrevive nas relações que estabelecemos entre nós e o que nos rodeia. E por isso cada receita deve vir acompanhada de uma história, nem que seja para nos aquecer quando a refeição já terminou. Mais do que as memórias, o investimento em cada repasto deve ser superior à soma das partes.

“Mas esta receita não tem história”, pensei eu. Na correria dos dias, como posso enriquecer este prato com as minhas palavras? Esta espécie de maki sushi surgiu de uma série de oportunidades.  Do resíduo do leite de amêndoa fiz a ricota. Da falta de tostas e pão para barrar enrolei nas folhas de alga nori o meu primeiro sushi. Da fome que me dá às vezes quando as insónias e o calor me impedem de dormir fiz uma ceia improvisada. Da vontade de limpar o frigorífico e a despensa antes de ir de férias resultou esta receita.

E na ausência de uma história trago-vos estes makis. Sem grandes pretensões e com imensa criatividade e sabor, sem desperdício e totalmente vegetariana, muito mais fácil de fazer do que alguma vez suporia se nesse dia acordasse e pensasse para mim mesma: “Hoje à meia noite podem encontrar-me na cozinha a fazer sushi.”

Leite de amêndoa


175g de amêndoa com casca
750ml de água

Deixar as amêndoas de molho durante a noite. De manhã escorrê-las e colocá-las uns minutos na água a ferver e depois passá-los por água fria para retirar a casca. Bater as amêndoas com 750ml de água até homogeneizar bem, escorrer bem o leite e reservar o resíduo.

Ricota de amêndoa 

adaptado de Lactose Não

resíduo do leite de amêndoa
2 tomates secos ao sol
folhas de manjericão frescas e picadas
1/2 colher de chá de orégãos secos
1/2 colher de chá de manjericão seco
sal 
pimenta
sumo de 1 limão
2 colheres de sopa de azeite


Misturar todos os ingredientes e reservar no frigorífico até utilizar. 

Maki sushi de ricota de amêndoa


2 folhas de alga nori
ricota de amêndoa
shoyo

Numa tábua estender uma folha de alga nori. Colocar a ricota de amêndoa no centro num rolo e começar a enrolar as folhas em torno da ricota. Quando der uma volta completa humedecer com um pouco de água a ponta e colar. Repetir com a outra folha de alga nori. Cortar os maki com uma faca, com cuidado para não os desfazer. Servir com um pouco de shoyo para molhar.



Esta receita apareceu primeiro no site A Montra / The Window, com o qual colaboro mensalmente.

Comments

  1. grande parte das vezes as grandes receitas nascem destas situações inesperadas. Nem todas têm uma história linda e maravilhosa por trás. para dizer a verdade, adoro estes improvisos e achei a tua ideia fantástica! Não gosto de sushi (pelo menos do vegetariano), aquele arroz enrola-se na boca... mas provavelmente com resíduo de amêndoa vou gostar. além disso é bem mais interessante nutricionalmente. Ainda me convences a fazer também os rolinhos!

    ReplyDelete
    Replies
    1. se os fizeres, acredito que vás gostar! o arroz de sushi e a maneira cm é confeccionado acabam por ser mais pesados do que esta sugestão, que é mais leve e crocante. eu gostei, ando sempre à procura de maneiras de aproveitar o resíduo do leite vegetal agr que aderi à chufamix! :D

      Delete
  2. Que maravilha,...
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ReplyDelete
  3. Que boa ideia! Tenho que experimentar esse "queijo" de amêndoa.

    ReplyDelete
    Replies
    1. este site onde me inspirei para fazer a ricota é uma maravilha de alternativas sem lactose, vais adorar!

      Delete
  4. "Eu acredito que a alimentação se faz de partilhas, não da contagem de nutrientes ou de calorias. " e quem não entende isto não come com o prazer de quem saboreia um petisco enquanto ri ou chora com histórias largadas à mesa. E isto é o mais importante. Guardei a receita :)

    beijo
    Vânia
    Lolly Taste

    ReplyDelete
    Replies
    1. a comida fosse reduzida a um cálculo do que entra e do que sai é meio caminho andado p uma pessoa criar neuroses associadas à alimentação e daí a que os distúrbios se instalem é meio caminho andado.. por isso gosto tanto de explorar tudo o resto que a comida tem para nos dar p percebermos que podemos comer bem sem nóias, cm tu dizes ;)

      Delete

Post a Comment

Popular Posts